Omissão da marca de plural /s/: uma realidade no Português falado em Angola

Paulino Soma Adriano

Resumo


No contexto de Angola, a língua portuguesa apresenta especificidades próprias, muitas delas consideradas desviantes em relação à norma-padrão europeia. O presente trabalho centra-se na omissão da marca de plural nos diferentes sintagmas lexicais e nos determinantes, tendo como referência o português falado em Angola. A descrição baseia-se num corpus oral recolhido, essencialmente, em 2012.

.


Palavras-chave


variação linguística, mudança linguística, sintagma

Texto completo:

PDF

Referências


AZEREDO, José Carlos de. Gramática Houaiss da Língua Portuguesa. São Paulo: Publifolha, 2008.

BECHARA, Evanildo. Lições de Português pela análise sintáctica. 4.ª ed., Rio de Janeiro: Editora Fundo de Cultura, 1976.

BECHARA, Evanildo. Moderna Gramática do Português. 37.ª ed., Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira e Editora Lucerna, 1999.

CUNHA, Celso, CINTRA, Lindley. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 5.ª ed., 7.ª imp., Rio de Janeiro: Lexikon, 2008.

DUARTE, Inês, FREITAS, Maria João (colab.). Língua Portuguesa. Instrumentos de análise. Lisboa: Universidade Aberta, 2000.

ELISEU, André. Sintaxe do Português. Luanda: Editorial Nzila Lda, 2008.

FARIA, Isabel Hub, EMÍLIA, Ribeiro Pedro, DUARTE, Inês, GOUVEIA, Carlos A. M. (Orgs.). Introdução à Linguística Geral e Portuguesa. Lisboa: Editorial Caminho, SA, 1996.

FREITAS, Tiago. «Gravando e Transcrevendo o Português Falado: Um Guia Teórico e Prático». in: JR., Miguel Oliveira (Org.), Estudo de Corpora. Da Teoria à prática, Edições Colibri e ILTEC: Lisboa, 2010.

GIL, Beatriz Darujo. Modelos de Análise Linguística. São Paulo: Editora Contexto, 2009.

INVERNO, Liliana. «A transição de Angola para o português vernáculo: estudo morfossintáctico do sintagma nominal». in: in Ana Carvalho (ed), Português em contacto. Madrid, Frankfurt: Iberoamericana/Editorial Vervuert, 2005.

MARCUSHI, L. A. Da fala à escrita. S. Paulo: Cortez Editora, 2001.

MATEUS, Maria Helena Mira, BRITO, Ana Maria, FARIA, Isabel Hub et al. Gramática da Língua Portuguesa. 7.ª ed., Lisboa: Caminho, 2003.

MATEUS, Maria Helena Mira e NASCIMENTO, Fernanda Bacelar (orgs.). A Língua Portuguesa em Mudança. Lisboa: Editorial Caminho, SA, 2005.

MATEUS, Maria Helena Mira e CARDEIRA, Esperança. Norma e Variação. Luanda: Editorial Nzila, 2007.

MATEUS, Maria Helena Mira, FALÉ, Isabel, FREITAS, Maria João, Fonética e Fonologia do Português, Lisboa: Universidade Aberta, 2005.

RAMILO, Maria Celeste e FREITAS, Tiago. «Transcrição Ortográfica de Textos Orais: Problemas e Perspectivas», in: JR., Miguel Oliveira (Org.), Estudo de Corpora. Da Teoria à prática, Edições Colibri e ILTEC: Lisboa, 2010.

Revisão da Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário. Ministério da Educação e Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular, Lisboa, 2007.

SCHERRE, Maria Marta Pereira. Reanálise da Concordância Nominal em Português. Tese de Doutoramento em Linguística Apresentada à Coordenação dos Cursos de Pós-Graduação da Faculdade de Letras da Universidade Federal do Rio de Janeiro, 1988.

SÍLVIA, Figueiredo Brandão, «Concordância nominal», in: VIEIRA, Silvia Rodrigues & BRANDÃO, Sílvia Figueiredo (orgs.). Ensino de gramática: descrição e uso, São Paulo: Contexto, 2008.

VILLALVA, Alina. Estruturas Morfológicas: unidades e hierarquias nas palavras do Português. Braga: Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação para a Ciência e a Tecnologia, 2000.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2019.42050

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

ISSN:2179-7528