VALORIZAR A TRADIÇÃO COMO UMA DAS VIAS PARA A MORALIZAÇÃO DA SOCIEDADE ANGOLANA: O CASO DA OMBALA EKOVONGO

António Guebe

Resumo


Com a colonização portuguesa e com o longo, mortífero e destruidor conflito armado interno pós-Independência, a sociedade angolana perdeu muitos de seus valores tradicionais que, antigamente, contribuíram e poderiam contribuir para a moralização da sociedade em referência. Na atualidade, as políticas sociais do Governo angolano incidem, fundamentalmente, sobre a recuperação de tais tradições e dos valores morais, envolvendo famílias, igrejas, autoridades tradicionais, enfim, toda a sociedade. O estudo sob o título: Valorizar a tradição como uma das vias para a moralização da sociedade angolana: o caso da Ombala Ekovongo”, mostra que a Ombala Ekovongo é detentora de normas seculares que, no passado, jogaram e podem continuar a jogar papel importante nesta ingente tarefa.

 


Palavras-chave


moralização, tradição, sociedade, Ombala Ekovongo.

Texto completo:

PDF

Referências


ANGOLA. Presidente da República. 1979-2016 (José Eduardo dos Santos),

“Estamos habituados a lutar contra as adversidades”. In. Jornal de Angola, nº 14189 (18 de Outubro de 2016), pp. 4-5.

CHILDS, G. M. Umbundu Kinship and Character. London, 1949. TEdwards

DOS SANTOS, Eduardo. “Religiões Nativas de Angola”, in Revista da Comunidade portuguesa e da actualidade ultramarina internacional (1964), África Ultramar, 15, [s/ed], 1964, pp. 17-36.

GIDDENS, Anthony. As Consequências da Modernidade, Trad. Fernando

Luis Machado e Maria Manuela Rocha, Oeiras, Celta Editora Lda, 1996.

HAMPATÉ BÂ, A. “A tradição viva”, em História Geral da África (pp. 181-218), Vol. I, trad. Beatriz Turquetti et al, São Paulo, Ática UNESCO, 1980.

HAUENSTEIN, Alfred. Les Hanya – Description D’un Groupe Ethnique Bantu de L’Angola, Wiesbaden, Franz Steiner Verlag GMBH, 1967.

KI-ZERBO, Joseph. História da África Negra, Volume I, 3ª Edição, Portugal, Publicações Europa-América, 1999.

LA FONTAINE, Jean S. Initiation. Ritual drama and secret knowledge across the world, Edinburgh, Edinburgh University Library, 1985.

MALUMBU, Moisés. Os Ovimbundu de Angola: Tradição – Economia e Cultura Organizativa, Coimbra, Edizioni Vivere In., 2004.

MINISTÉRIO DAS COLÓNIAS. Viagens e Apontamentos de um Portuense em África – Excerptos do «Diário» de António Francisco da Silva Pôrto, (1890), 15, Lisboa, Divisão de Publicações e Biblioteca – Agência Geral das Colónias, 1942.

MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola). História de Angola. Argel, 1965,

Porto, Edições Afrontamento, (1965).

PINTO, Alberto Oliveira. História de Angola – da Pré-História ao Início do Século XXI, Lisboa, Mercado de Letras Editores, Lda., 2016.

ROGADO, José Francisco Quintino. “EXPEDIÇÃO DO BIÉ – Apontamentos da viagem desde o dia 14 de Outubro de 1890 a 29 de Dezembro”. In. Ministério das Colónias (1933), ANGOLA: Expedição do Bié – De 14 de Outubro a 29 de Dezembro de 1890, Lisboa, Divisão de Publicações e Biblioteca: Agência Geral das Colónias, 1890, pp. 9-40.

ROSA, Frederico Delgado. “Os Caminhos de Muene Puto”, in. Visão História, O Império Português em África [s/ed], s/d, pp. 56-65.

VANSINA, Jan. “A tradição oral e a sua metodologia”, em História Geral da África (pp. 157-179), Vol. I, trad. Beatriz Turquetti et al, São Paulo, Ática/UNESCO, 1980.

WILSON, Mónica. “Nyakyusa Ritual and Symbolism”, American Anthropologist, 56 (2), 1954, pp. 228-224, (Online). Disponível em: http://dx.doi.org/10.1525/aa.1954.56.2.02a00060 (Acedido em 12 de Novembro de 2014)




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2019.42044

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos