RUY DUARTE DE CARVALHO E O PARADOXO DO MODERNO ESTADO-NAÇÃO ANGOLANO

Christian Rodrigues Fischgold

Resumo


O presente artigo analisa dois textos publicados pelo autor angolano Ruy Duarte de Carvalho nos últimos anos de sua vida: “Tempo de ouvir o ‘outro’ enquanto o “outro” ainda existe, antes que haja só o outro... (2008), e Da Angola Diversa (2009). Esses textos apresentam uma visão da problemática da representação da diversidade e propõem uma cartografia das alteridades contemporâneas inseridas nas estruturas do Estado angolano.

 

 


Palavras-chave


Angola; Antropologia; Literatura; Neo-animismo

Texto completo:

PDF

Referências


ABRANCHES, Henrique. Reflexões sobre Cultura Nacional. Lisboa: Edições 70 para a União dos Escritores Angolanos, 1980.

______. Comunicação. In: CONFERÊNCIA DOS ESCRITORES AFRO-ASIÁTICOS, 6., 1981. Teses Angolanas: documentos da VI Conferência.. Lisboa: Edições 70 para a União dos Escritores Angolanos, 1981. v. 1.

AREIA, Manuel Laranjeira Rodrigues de. A diversidade cultural e a construção do Estado-Nação em Angola. IN Comunidades Imaginadas: Nação e Nacionalismos em África. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra, 2008.

BARTH, Fredryk. Grupos étnicos e suas fronteiras. IN POUTIGNAT, Phillipe; STREIFF-FENART, Jocelyne. Teorias da Etnicidade. São Paulo: Editora Unesp, 2011.

CARVALHO, Paulo de. Estado, nação e etnia em Angola. IN Revista Angolana de Sociologia. Orgão da Sociedade Angolana de Sociologia. Nº 1 - junho 2008, p. 61-71.

CARVALHO, Ruy Duarte de. A câmara, a escrita e a coisa dita. Lisboa: Cotovia, 2008.

______. As Paisagens Propícias. Lisboa: Edições Cotovia, 2005.

______. A Terceira Metade. Lisboa: Edições Cotovia, 2009.

______. Lavra: antologia poética. Lisboa: Edições Cotovia, 2005.

______. Decálogo neo-animista. Lisboa: 2010. Disponível em http://www.buala.org/pt/ruy-duarte-de-carvalho/decalogo-neo-animista-ruy-duarte-de-carvalho Acesso em 13 de março de 2019.

______. O que não ficou por dizer. Luanda e Lisboa: Associação Cultural Chá de Caxinde. 2011

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Felix. Mil Platôs. São Paulo: Editora 34, 2011. v.4.

GEERTZ, Clifford. Interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 1989.

_______. Obras e vidas: o antropólogo como autor. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2009.

LEITE, Ana Mafalda. Oralidades & Escritas nas literaturas africanas. Lisboa: Edições Colibri, 1998.

LIMA, Maria Helena de F. Nação Ovambo. 1. ed. Lisboa: Editorial Aster, 1977.

MARTIN, R. P. Apresentação. In: Odisseia. 1a edição ed. São Paulo: Cosac Naify, 2014. p. 640.

VENÂNCIO, José Carlos. Uma perspectiva etnológica da literatura angolana. Lisboa: Ulmeiro, 1993.

YAKULEINGE, Gaudêncio Félix. Uma teologia cristã desde os ritos ovakwanyama. Lisboa: Paulus Editora, 2012.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2019.42042

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos