UMA REVISÃO SISTEMÁTICA DE TEXTOS COLONIAIS SOBRE A PROVÍNCIA DO NAMIBE (EX- MOÇÂMEDES) DE 1800 a 1920

Anibal Simões

Resumo


O objectivo deste estudo é efectuar um mapeamento sistemático dos textos coloniais sobre Moçâmedes (actual Namibe) escritos entre anos 1800 e 1920. Para definir a nossa amostra, realizámos uma pesquisa formal nas bases de dados PORBASE (Banco Nacional de Dados de Portugal) e no  PORTAL DAS MEMÓRIAS DA ÁFRICA E ORIENTE. Como metodologia, utilizou-se a revisão sistemática da literatura. Trata-se, como tal, de um estudo de carácter qualitativo-exploratório. Os dados foram inseridos no SPSS e usado o procedimento de validação. Utilizou-se o índice de concordância kappa para os aspectos: hegemonia, práticas, status quo e decisão pela inclusão/ exclusão. Com base no índices de concordância inconclusivos e fracos, enfatiza-se a necessidade da releitura inicial dos trabalhos por outros avaliadores (dois), não se baseando apenas nos títulos, mas também nos resumos ou nos textos completos.

 

 


Palavras-chave


Revisão sistemática, concordância entre avaliadores, índice de concordância de kappa, ocupação colonial efectiva.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, António de. Os Bosquímanos de Angola. Instituto de Investigação Científica Tropical,1994

BALA, Poonam. Contesting Colonial Authority: Medicine and Indigenous Responses in Nineteenth- and Twentieth-century India. Maryland:Lexington Books, 2012.

BOAZ, Annette.; ASHBY, Deborah.; YOUNG, Ken. Systematic reviews: what have they got to offer evidence based policy and practice? – Working Paper 2. London: ESRC UK Centre for Evidenced Based Policy and Practice,2002.

COELHO, Teresa. Pinto Literatura colonial e pós-colonial. Acessado no dia 19 de Maio de 2018 em http://edtl.fcsh.unl.pt/encyclopedia/literatura-colonial-e-pos-colonial/,2009.

DE-LA-TORRE-UGARTE-GUANILO, Mônica Cecília; TAKAHASHI, Renata Ferreira; BERTOLOZZI, Maria Rita. Revisão sistemática: noções gerais. Revista da Escola de enfermagem da USP, v. 45, n. 5, 2011.

ENGELS, Dagmar & MARKS, Shula. Contesting Colonial Hegemony: State and Society in Africa and India. London: British Academic Press,1994.

GONÇALVES, Aline Lima (2008). The use of abstracts and keywords in Social Sciences: an evaluation. Enc. Bibli: R. Eletr. Bibliotecon. Ci. Inf., Florianópolis, n. 26.

GRACIAS, Fatima. Health and Hygiene in Colonial Goa, 1510-1961. New Delhi:Concept Publishing Company, 1994.

GUERRA, Henrique. Angola, estrutura económica e classes sociais: os últimos anos do colonialismo português em Angola. Edições 70,1979.

HIGGINS Julian; GREEN Anderson (2011) (editors). Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions Version 5.1.0,v.2011. http://handbook.cochrane.org.Acesso 18.2.2018.

IGARASHI, Deisy Cristina. Revisão sistemática e sua potencial contribuição em “negócios, gerenciamento e contabilidade. Gestão & Regionalidade - vol. 31 - nº 91,2015.

LANCASTER, Frederick Wilfrid F. W.Indexação e resumos: teoria e prática. Brasília: Briquet de Lemos/Livros,1993.

MARR, Bernard.; MOUSTAGHFIR, Karin. Defining intellectual capital: a three-dimensional approach. Management Decision, v. 43, n. 9, p. 1114-1128,2005.

MENEZES, Solival. Mamma Angola: sociedade e economia de um país nascente. EdUSP,2000.

SOUSA, Manuel. Capital do Namibe volta a ser Moçâmedes Jornal de Angola.v. 4.2016. Acesso em 17 maio 2018.

SILVA, Elisete Marquês da. Impactos da ocupação colonial nas sociedades rurais do sul de Angola. Lisboa:CEA/ISCET,2003.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2019.42041

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos