Implementação de um Sistema b-Learning na Escola Secundária do Nambambe-Lubango

Bernardo Chicuma Uhongo

Resumo


artigo tem como objecto de estudo a implementação de um sistema b-learning na Escola Secundaria do Nambambe -Lubango, uma vez que a instituição reúne condições para a sua materialização, ainda que não a tenha. Por isso, pensámos fazer um estudo pormenorizado sobre o tema, a fim de descrever e explicar as condições existentes para a sua implantação. A metodologia empregue é o estudo de caso com vista a explicar a implantação do b-learning que é a modalidade aceite para ser efectuada nesta instituição, a julgar pelas vantagens que ela oferece e os benefícios que trará para o processo de ensino-aprendizagem, mormente para os professores e alunos em termos de tecnologia, informação e conhecimento, libertando-se da infoexclusão digital.

.


Palavras-chave


Ensino a Distância, e-Learning, b-Learning, TIC

Texto completo:

PDF

Referências


ALFREDO, F. C. Avaliação das aprendizagens: política, concepção e práticas na formação de professores em Angola. Rio de Janeiro: Outras Letras, 2014.

ALVES, M. Como Escrever Teses e Monografia : Um roteiro passo a passo. Rio de janeiro- Brasil: Elsevier, 2007.

ANDERSON, L.; KRATHOHL, D. A taxonomy for learning , teaching, and assessing: A revision of Bloom's Taxonomy of educational objectives. Disponivel em New york: Longmans: www.celt.iastate-edu/teaching-resource/ effective-pratice/revised-blooms-taxonomy, 2001.

CASTILHO, R. Ensino A Distância - EAD Interactividade e Metodo. São Paulo-Brasil: Atlas S.A, 2011.

COSTA, E. Lubango. Velha Cidade Académica. Chela, 13-14, 2011.

FIGUEIRA, M. (2003). O Valor do E-Learning. Portugal: Sociedade Portuguesa de Inovação, SA.

FULAY, O. M. Utilização de Dispositivos Tecnologicos na Implementação do Ensino À Distância Vía Internet em Angola. Dissertação de mestrado em novas tecnologias de informação e comunicação aplicada à educação. Madrid, Espanha: Instituto Universitário de Pós- Graduação, 2010.

JANSSEN, C. Web 1.0 : Definition- What does web 1.0 mean? Obtido em 3 de setembro de 2014, de techopedia: http://www.techopedia.com/definition/27960/web-10, 2013.

MAGANO, O., MELRO, A., SOUSA, F. d., PINHEIRO, A. Ensino online e Participação da Unidade Curricular de Introdução às ciências Sociais da universidade Aberta. Challenges 2013: Aprender a qualquer hora e em qualquer lugar, learning anytime anywhere (pp. 520-530). Braga- Portugal: Centro de Computação TIC do Instituto de Educação da Universidade do Minho, 15-16 de julho de 2013.

MARTINS, M. G. Apresentação da série Tecnologias digitais na educação. Salto para o Futuro: Tecnologia digitais na Educação, pp. 5-8, 19 de Novembro-Dezembro de 2009.

MOODLE. we give you powerful free tools to help you educate the world. Acesso em 10 de janeiro de 2014, de moodle: http://moodle.com/, 2014.

MORAIS, C., ALVES, P., MIRANDA, L. Valorização dos Ambientes Virtuais de Aprendizagem do Professores do Ensino Superior. Sistemas de Tecnologias de Informação: Atas da 8ª Conferência Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação (pp. 289-294). Lisboa-Portugal: Alvaro Rocha; Luís Pedro Reis; Manuel Peréz Cota; Marco Painho; Miguel Castro Nelo, 19 à 22 de Julho de 2013.

NUNES, C. M. Introdução à Plataforma Moodle. Acesso em 6 de Novembro de 2013, de Moodle.PT: http://moodlept.educom.pt/mod/book/view.php?id=1755, 2012.

ORION. Manual Técnico da Solução e Fundamentos de Computação: Projecto Informatização de Escola. Luanda-Angola, s/d.

PAPERT, S. A Família em Rede. Ultrapassando a barreira digital entre gerações (F. J. S. Nunes, Melo, F. A. B. L., Trans.). Lisboa: Relógio d'Água Editores, 1996.

PEDRO, I., ALTURAS, B., LAUREANO, R. M. A aceitação do Moodle em função de Caracter mandatório da sua utilização. Sistema e Tecnologia de Informação. Atas da 8ª Conferência Ibérica de Sistemas e Tecnologia de Informação (pp. 323-328). Lisboa-Portugal: Alvaro Rocha; Luís Paulo Rocha; Manuel Pérez Cota; Miguel Castro Nelo, 2013.

PERES, P.; PIMENTA, P. (2011). Teorias e Praticas de B-Learning. Lisboa-Portugal: Edições Sílabo.

PRATT, R. M., PALLOFF, K. O Aluno Virtual um guia para trabalhar com estudantes on-line. Porto Alegre-Brasil: Artmed, 2004.

PRENSKY, M. Digital Natives Digital Immigrants. Obtido de On the Horizon: www. marcprensky.com, October de 2001.

RODRIGUES, S. M. AVALIAÇÃO EM E-/B-LEARNING. Implementação de um sistema de auto -avaliação de um projecto de apoio online no Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto. Dissertação apresentada para obtenção do grau de Mestre em Administração e Planificação da Educação . Porto, Portugal, 2007.

SANTOS, G. E. Calculo Amostral. Acesso em 31 de Março de 2015, de Calculadora Online: http:// www.calculoamostral.vai.la, s.d.

SANTOS, R., ; JORGE, I. Utilização da plataforma Moodle por docentes do ensino não superior: O caso da escola EB 2, 3 S. João de Deus. Educação, Formação & Tecnologia, pp. 68-85, julho de 2013.

SPRINTHALL, N.; SPRINTHALL, R. Psicologia Educacional. Alfragide: Editora McGraw-Hill, 1993.

TOMÉ, I. As Teorias de Desenvovimento e os sitemas Interactivos de Comunicação. Unidade de Aprendizagem 2: Teorias da aprendizagem e os modelos pedagógicos on-line. Lisboa, Portugal, 2011.

TOMÉ, I. Inteligència Multiplas. Unidade de Curricular: Teorias Construtivistas e construcionistas aplicadas ao e-Learning. Lisboa, Portugal, 2011.

TOMÉ, I. Learning, tutoring and mediation. Acesso de http://openeducationeuropa.eu/da/node/123825, 2013.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2019.42036

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2019 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos