Homo academicus: as africanidades e afrodescendências nos cursos de História da UFPI e UESPI

Lucas Rafael Santos Costa, Pedro Pio Fontineles Filho

Resumo


A implementação de uma lei voltada para a reformulação do currículo na contemporaneidade revela as evidências materiais do processo histórico-acontecimental de inclusão e exclusão dos atores sociais a constituírem a população nacional nas narrativas sobre a formação da nação e do povo brasileiro com suas identificações, coletividades e representações. Deste modo, este artigo se propõe a refletir, a partir da obrigatoriedade das 10639/2003 e 11645/2008, e com base nos currículos da UFPI e UESPI, em que medida estas instituições, que são os dois principais centros de pesquisa e ensino do Estado do Piauí, foram capazes de trazer ao centro da formação dos professores de História os conteúdos da História e à Cultura Afro-Brasileiras, possibilitando à saída da carência de orientação (RÜSEN, 2001), no que se refere às africanidade, afro-brasilidade e afrodescendências contribuindo para a valorização da diversidade étnico-racial.


Palavras-chave


: História; Ensino; Currículo; Cultura Afro-Brasileira

Texto completo:

PDF

Referências


BOURDIEU, Pierre. Homo academicus. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2011.

COELHO, Mauro Cezar; COELHO, Wilma de Nazaré Baía. A Lei n° 10.639/03 e consciência histórica: ensino de História e os desafios da Diversidade. In: XXVII Simpósio Nacional de História - Conhecimento Histórico e Diálogo Social, 2013, Natal. Lugares dos Historiadores - velhos e novos desafios, 2013.

GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989

GOMES, Nilma Lino; AMÂNCIO, Iris Maria da Costa (Orgs.). Literaturas africanas e afro-brasileira na prática pedagógica. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.

GOODSON, Ivor F. Currículo: Teoria e História. 2. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1995.

LIMA, Monica. Fazendo soar os tambores: o ensino de História da África e dos Africanos no Brasil. Cadernos PENESB, v. 1, 2000, p. 159-173.

PAULA, Benjamin Xavier de; GUIMARAES, Selva. 10 anos da lei federal nº 10.639/2003 e a formação de professores: uma leitura de pesquisas científicas. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 40, n. 2, p. 435-448, jun. 2014. Disponível em . Acesso em 16 mai. 2018

PEREIRA, Junia Sales. Diálogos sobre o exercício da docência: A recepção das Leis 10639/2003 e 11645/2008. Revista Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 36, n. 1, p. 147-172, jan./abr., 2011. Disponível em: < http://www.seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/viewFile/15073/11515 >. Acesso em: 21 nov. 2017.

PÉREZ RINGUELET, Silvia. Entrevista al profesor Jacques Le Goff. Boletín de Historia Social Europea. 1991 núm. 3, p.57-68. En Memoria Académica. Disponível em: http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/art_revistas/pr.2420/pr.2420.pdf < acesso em 05 set 2017.

RÜSEN, Jörn. Razão histórica: Teoria da história: fundamentos da ciência histórica. Brasília: UnB, 2001.

Fontes:

BRASIL. Lei 10.639/2003, de 9 de janeiro de 2003. Altera a Lei nº 9. 394, de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2003/L10.639.htm> acesso em 18 out 2017.

BRASIL. Lei 11.645/2008, de 8 de março de 2008. Altera a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei nº 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática "História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena". Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília.

BRASIL, Ministério Da Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais e para o Ensino de história e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Resolução CNE/CP 1/2004, de 17 de junho de 2004. Disponível em: > http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/res012004.pdf<. Acesso em junho de 2017.

BRASIL, Ministério Da Educação. Parecer CNE/CP 3/2004, de 10 de março de 2004. Disponível em: > http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/cnecp_003.pdf <. Acesso em junho de 2017.

BRASIL. Ministério Da Educação. Parâmetro Curricular Nacionais. Pluralidade Cultural. Secretaria de educação fundamental. DF, 1997. Disponível em: > http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/pluralidade.pdf

PIAUÍ. Lei Estadual nº 3.967. Autoriza o poder executivo a instituir a fundação de apoio ao desenvolvimento da educação do estado do Piauí – FADEP, 1984.

BRASÍLIA. Decreto Federal nº 91.851. Autoriza o funcionamento dos cursos de Pedagogia, Ciências, Letras e Administração do Centro de Ensino Superior do Piauí. 1985.

COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM HISTÓRIA. Manual Acadêmico Do Curso De História. Teresina (PI). 2017.

PIAUÍ. Projeto Pedagógico de Curso de História-UESPI. Teresina: Curso de História, 2006.

______. Projeto Pedagógico de Curso de História-UESPI. Teresina: Curso de História, 2012.

______. Projeto Pedagógico de Curso de História-UESPI. Teresina: Curso de História, 2015.

PIAUÍ. Proposta De Ajuste Curricular - UFPI. Teresina: Curso de História, 2000.

PIAUÍ. Projeto Pedagógico de Curso de História-UFPI. Teresina: Curso de História, 2007.

______. Projeto Pedagógico de Curso de História-UFPI. Teresina: Curso de História, 2011.

PIAUÍ. Projeto Pedagógico de Curso do Curso de especialização á distância (ead) em História e Cultura Afro-Brasileira E Africana. Teresina da UESPI: Curso de especialização, 2013.




DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2018.35658

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Autor concedendo à Revista Transversos o direito de primeira publicação.

ISSN:2179-7528