Cartas Impertinentes. Agonística de uma escrita sobre o intolerável

Luis Antonio dos Santos Baptista

Resumo


 

DOI: 10.12957/transversos.2018.33712


No uso da estreita articulação entre subjetividade e política, o artigo discorre sobre os efeitos da presença marcante dos discursos neopentecostais na produção e intervenção sobre a diferença na atualidade brasileira. A ficção como forma textual, à luz das contribuições de Walter Benjamin, Maurice Blanchot, Michel Foucault, entre outros autores, é utilizada como ferramenta para intensificar e desdobrar questões advindas da evangelização da vida social brasileira. O artigo, na forma de cartas a diferentes destinatários, pretende multiplicar os espaços de ação e de resistência às práticas pastorais referentes aos atos de intolerância, ou genocídio, aos modos de existência incompatíveis à evangelização da vida social.

Palavras-chave: subjetividade- política- diferença


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2018.33712

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Revista TransVersos

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos