Aos simbolistas, as margens: experiências estéticas e subjetividades políticas marginalizadas

Mariana Albuquerque Gomes

Resumo


DOI: 10.12957/transversos.2017.27621

Este trabalho tem por objetivo apresentar os resultados parciais da pesquisa desenvolvida no mestrado acerca das experiências estéticas simbolistas que tomaram corpo no final do século XIX, no Brasil. Ao recobrar o lugar marginal ao qual os artistas simbolistas foram postos, busca-se compreender a marginalidade literária desse grupo, em um primeiro momento, por um viés sociológico que analisa o processo de marginalização a partir da figura do outsider. Em seguida, prossegue-se nesta questão por uma perspectiva teórica estético-política, que dimensiona o potencial disruptivo das revistas literárias simbolistas e permite entrever o caráter político intrínseco a suas manifestações estéticas, possibilitando pensar a marginalidade como a produção de um lugar de voz de subjetividades políticas não autorizado por um comum partilhado.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2017.27621

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos