AMPLIAÇÃO E VETO AO DEBATE PÚBLICO NA ESCOLA: HISTÓRIA PÚBLICA, ENSINO DE HISTÓRIA E O PROJETO “ESCOLA SEM PARTIDO”

Daniel Pinha Silva

Resumo


DOI: 10.12957/transversos.2016.24943

O artigo analisa usos e possibilidades da história pública no ensino de história na escola, levando em conta as diversas formas que o conhecimento histórico se encontra em circulação na sociedade e a centralidade que leitores não especializados em história possuem nesta abordagem. Adequada à concepção de cidadania presente em currículos brasileiros de história, consideramos que estes usos ampliam a potencialidade da aula de história ser entendida como espaço de realização do debate público, inserida nas demandas sociais por pluralidade que, inevitavelmente, atravessam o caminho de estudantes e professores. Em caminho oposto, o Projeto “Escola sem Partido”, sob a alegação de defesa da neutralidade na abordagem pedagógica, propõe o veto à voz política dos professores e, por conseguinte, à própria realização do debate público no universo escolar.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/transversos.2016.24943

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais

REVISTA TRANSVERSOS - ISSN:2179-7528

Laboratório de Estudos das Diferenças e Desigualdades Sociais - UERJ

Campus Francisco Negrão de Lima - Pavilhão João Lyra Filho Rua São Francisco Xavier, 524 - 9° andar - Bloco D, sala 6.

http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/transversos