O CARNAVAL, LUGAR DE PODER?: O CARNAVAL DOS SEM DOCUMENTO DA CIDADE DE COLÔNIA (ALEMANHA) ARROMBA A FESTA

Monika Salzbrunn

Resumo


Em Colônia, os atores de um movimento social translocal para apoiar os refugiados políticos usam o recurso festivo do carnaval para trazer à luz desigualdades políticas, econômicas e sociais. Simbolicamente, ao zombar da situação precária em que se encontram, eles se destacam e se emancipam do poder político de que dependem em parte, alimentando assim o potencial transformador da festa. Este artigo baseia-se em uma etnografia plurianual. O movimento translocal de apoio aos refugiados apoia-se no discurso multicultural da prefeitura para reivindicar o melhor acolhimento de imigrantes sem-documento. Os atores retomam, por sua vez, a coreografia do antigo carnaval de Colônia, o “instrumentalizam” e o reinventam a seu modo. A oportunidade de viver juntos além das fronteiras ou limitações jurídicas legais, geográficas e políticas, praticada e encenada pelo movimento de apoio aos imigrantes sem-documento, serve como exemplo e modelo para o cotidiano da cidade, em particular, e para o mundo urbano em geral.


Palavras-chave


CARNAVAL; COLÔNIA; ALEMANHA; REFUGIADOS; SEM-DOCUMENTOS; DIVERSIDADE; LIMINARIDADE; COMUNIDADE; RITUAL.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tecap.2017.30991

Apontamentos

  • Não há apontamentos.