AS ESCOLAS DE SAMBA E OS MOVIMENTOS NEGROS NOS ANOS 1960: UMA PÁGINA EM BRANCO NA HISTORIOGRAFIA BRASILEIRA

Guilherme José Motta Faria

Resumo


<doi>10.12957/tecap.2014.16250

Os desfiles das agremiações cariocas nos anos 60 estavam inseridos no quadro de transformações culturais, revelando embates, lutas e disputas por espaços políticos e sociais. O objetivo desta comunicação é compreender como a temática da cultura negra era trabalhada pelas escolas no período. A partir das matérias do Jornal do Brasil, destaquei os enredos, sambas e as narrativas da história dos negros no Brasil. As escolas eram agremiações culturais sintonizadas nos debates da militância, embora consideradas manifestações folclóricas, sendo ignoradas pelas lideranças e organizações, o que se refletiu em importante lacuna na historiografia sobre o movimento negro brasileiro daquela década.


Palavras-chave


ESCOLAS DE SAMBA; MOVIMENTOS NEGROS; REPRESENTAÇÕES SOCIAIS

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tecap.2014.16250

Apontamentos

  • Não há apontamentos.