ESTILOS DE ESCULTURA EM PEREGRINAÇÃO: MARCAS DE UM BRASIL AFRICANO OU DE UMA ÁFRICA BRASILEIRA EM OBJETOS DE COLEÇÃO

Marta Heloísa (Lisy) Leuba Salum

Resumo


<doi>10.12957/tecap.2014.16240

Analisando antigos exemplares da escultura em madeira relativa aos cultos afro-brasileiros conservados em museus e outros acervos públicos no país, Marianno Carneiro da Cunha discerniu elementos estilístico-morfológicos de uma “tradição escultórica ‘nagô-iorubá’” no Brasil. Tentando contextualizar, atualizar e ampliar essa perspectiva de análise, apresentamos aqui novo repertório de objetos que, à luz de uma iconografia sobre a África da segunda metade do século XIX, nos traz novos dados referentes a aproximações entre Brasil e África no campo da escultura artística, bem como à formação de coleções museológicas sobre a África no Brasil.


Palavras-chave


ICONOGRAFIA AFRICANA; ICONOLOGIA BRASILEIRA; CULTURA MATERIAL; HISTÓRIA DA ÁFRICA; CANDOMBLÉS

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tecap.2014.16240

Apontamentos

  • Não há apontamentos.