CORDEL HÍBRIDO, CONTEMPORÂNEO E COSMOPOLITA

Marco Antonio Gonçalves

Resumo


O artigo discute o significado do fazer cordel hoje na região do Cariri cearense. A partir de dois grupos de cordelistas, aparentemente distintos, observa-se o contraste de suas representações sobre o ‘Nordeste’: a Academia de Cordelistas de Crato e a Sociedade de Cordelistas Mauditos. Embora a produção do cordel se dê no interior dos grupos distintos, os poetas têm um universo poético compartilhado, o que lhes assegura uma interlocução e comunicação. Os ‘acadêmicos’ assumem um papel ‘tradicionalista’, constituem-se em defensores de um cordel autêntico, o que gera uma determinada concepção de Nordeste. Os ‘mauditos’ contrastam com os ‘acadêmicos’ produzindo uma crítica não propriamente ao ‘estilo’ cordel, mas a determinadas temáticas e representações sobre o Nordeste, jogando luz sobre outras possibilidades de criação de uma imagem da região, apoiada na contemporaneidade e na universalização dos valores que ali se fazem presentes hoje

Palavras-chave


CORDEL; NORDESTE; HIBRIDIZAÇÃO

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.