A COMMEDIA DELL’ARTE: MÁSCARAS, DUPLICIDADE E O RISO DIABÓLICO DE ARLEQUIM

Nanci de Freitas

Resumo


A partir do Renascimento, o teatro europeu iria aprimorar seus recursos cênicos. Se, por um lado, os cânones dramatúrgicos da Antiguidade ditariam os parâmetros de um teatro erudito, por outro lado, a commedia dell’arte italiana, construída sobre bases teatrais extraliterárias e tipos representados por máscara, alcançaria ampla recepção. Os tipos mais populares eram os zanni, criados bufos, esfomeados e trapaceiros. Dentre eles, o Arlequim viria a ser a principal figura, incorporando em sua forma aspectos grotescos do diabo medieval.

Palavras-chave


ARLEQUIM, DUPLAS CÔMICAS, TEATRO POPULAR, MÁSCARAS, COMMEDIA DELL’ARTE

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.