O SEXTO SENTIDO DO PESQUISADOR: A EXPERIÊNCIA ETNOGRÁFICA DE EDISON CARNEIRO

Ana Carolina Carvalho de Almeida Nascimento

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.12957/tecap.2011.10447

Proponho neste trabalho uma reflexão sobre a experiência etnográfica de Edison Carneiro em Salvador (Bahia), nos anos 30, quando, em encontros e negociações com pais e mães de santo de terreiros de candomblé nagôs, bantos ou caboclos, ele escreve sua própria história do candomblé da Bahia.


Palavras-chave


EDISON CARNEIRO, HISTÓRIA DA ANTROPOLOGIA, EXPERIÊNCIA ETNOGRÁFICA, RELIGIÕES AFROBRASILEIRAS, CANDOMBLÉS BANTO E DE CABOCLO.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tecap.2011.10447

Apontamentos

  • Não há apontamentos.