"ROSA DE OURO NUNCA FOI DE BRINCADEIRA": A PRESENÇA DA ARTE ERUDITA NO CARNAVAL DE ROSA MAGALHÃES

Dulce Dulce Regina Baggio Osinski, Gustavo Krelling

Resumo


DOI: http://dx.doi.org/10.12957/tecap.2011.10428

Os desfiles da carnavalesca Rosa Magalhães são o objeto de análise desta pesquisa, que investiga as referências à arte erudita presentes no trabalho da artista, inserido em uma festa popular, e como essas referências podem ser percebidas como processo de hibridação e circularidade.


Palavras-chave


ROSA MAGALHÃES, CIRCULARIDADE, HIBRIDAÇÃO, ERUDITO, POPULAR.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tecap.2011.10428

Apontamentos

  • Não há apontamentos.