FORMAÇÃO DO MERCADO INFORMAL EM KINSHASA (REPUBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO)

Mukenge Shay

Resumo


Trata-se deum ensaio sobre os dois circuitos da economia urbana (especificamente o mercado informal) em Kinshasa, capital da República Democrática do Congo. Este ensaio está baseado em dados e experiências da realidade desta cidade, onde buscou-se iluminar, com nova luz, um importante aspecto dos países do Terceiro Mundo: a construção social do trabalho. O estudo dos dois circuitos da economia urbana, proposto por Milton Santos (1979), valoriza os fenômenos da pobreza e do mercado informal como expressões simultâneas da dominação e da luta pela sobrevivência.O trabalho apresenta uma interpretação inovadora e polêmica das causas do predomínio do mercado informal na economia da cidade.
A colonização e as ditaduras são as causas do predomínio da pobreza e do mercado informal em Kinshasa, incorporando grande parte da população, situação essa, agravada pelas características atuais do cenário mundial. A seguir, associa-se o conceito de circuito inferior à dinâmica do mercado informal em Kinshasa.Como as atividades deste circuito interessam principalmente aos pobres na afirmação de Milton Santos, a pobreza e o mercado informal surgem, simultaneamente, como causa e efeito inegáveis.


Palavras-chave: Mercado informal; pobreza; impacto da globalização, Kinshasa e República Democrática do Congo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2008.650



ISSN: 1980-4490

 Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional     Portal de Periódicos da CAPES