AVALIAÇÃO DA EFETIVIDADE EM UNIDADES DE CONSERVAÇÃO: UM ESTUDO DE CASO NO ESTADO DO MARANHÃO, BRASIL

Yata Anderson Gonzaga Masullo, Helen da Costa Gurgel, Anne-Elizabeth Laques, Dionatan Silva Carvalho

Resumo


As áreas protegidas possuem grande importância na manutenção do ambiente saudável para as pessoas e a natureza. Esses territórios, são essenciais para a conservação da biodiversidade e vital para as culturas e meios de subsistência das comunidades tradicionais (UNEP; WCMC; IUCN, 2018). Nesse contexto, o presente estudo, possui o objetivo de desenvolver o Índice de Efetividade das Unidades de Conservação aplicado ao estado do Maranhão. Busca-se dessa forma, apresentar novas perspectiva metodológicas para a otimização da avaliação do nível de efetividade das áreas protegidas em escala regional. A pesquisa, dividiu-se em 3 etapas: 1) Revisão bibliográfica e coleta de indicadores primários e secundários; 2) Qualificação e sintetização das variáveis com base no método de Analytic Hierarchy Process (AHP) e 3) Análise espacial e regionalização das unidades de conservação, através do método geoestatístico da Krigagem. Entre os resultados alcançados, observou-se que conforme que 18% das UCs em análise apresentaram nível satisfatório, 46% grau medianamente satisfatório, enquanto que 9% pouco satisfatório e 27% nível de efetividade insatisfatório. Ao mesmo tempo, a regionalização das UCs ampliou a compreensão do território, demonstrando como as diferentes características e fenômenos ambientais, culturais, econômicos, sociais e políticos interagem e influenciam o nível de efetividade das áreas protegidas.


Texto completo:

195-215


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2020.51272



ISSN: 1980-4490

 Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional     Portal de Periódicos da CAPES