O PROCESSO HISTÓRICO DE OCUPAÇÃO DO PARQUE JOÃO PAULO II E AS POLÍTICAS PÚBLICAS ADOTADAS PARA A REDUÇÃO DO RISCO DE DESASTRES

Talita Santiago Lopes, Daniela Rocha Teixeira, Francisco Luiz Guimarães Leitão, Gerônimo Emilio Almeida Leitão

Resumo


Este trabalho pretendeu compreender o processo de urbanização da comunidade João Paulo II e quais as políticas públicas adotadas para a redução do risco de desastres e promoção de uma melhor qualidade de vida para os moradores. A pesquisa baseou- se na contextualização histórica da ocupação da favela através de sites que contém periódicos científicos, reportagens, planos e livros sobre o processo histórico de formação dos bairros e favelas do município do Rio de Janeiro. Sites oficiais do governo foram utilizados para obtenção de dados demográficos e econômicos. Uma pesquisa de campo foi realizada e informações levantadas junto aos moradores e a Defesa Civil municipal. O site GEOPEA foi a base de dados consultada para obtenção dos mapas que delimitam as áreas de risco geológico. A comunidade contou ao longo das últimas décadas com programas de urbanização e habitação implantados, assim como algumas obras de contenção de encostas e projetos de cunho socioambiental. A participação da própria comunidade no processo deve ser priorizada para dar legitimidade às ações, garantir a eficácia e evitar o estabelecimento de novos conflitos. Um adequado planejamento das áreas suscetíveis a desastres é necessário para que o risco seja mitigado, na medida do possível.

 

Palavras Chave: Comunidades. Favelas. Risco. Desastres.


Texto completo:

126-142


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2019.41869



ISSN: 1980-4490

 Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional     Portal de Periódicos da CAPES