MARÉS DAS REBELDIAS EM ABAETETUBA: DOS RIOS DA EXISTÊNCIA À RESISTÊNCIA DOS TERRITÓRIOS NA AMAZÔNIA PARAENSE, BAIXO TOCANTINS

Osmana Dias Gonçalves, Jondison Cardoso Rodrigues, José Sobreiro Filho

Resumo


A dinâmica de “ocupação” colonizadora-espoliadora e a formação socioeconômica da Amazônia são marcadas por uma trajetória de exploração, perdas, danos, conflitos/conflitualidades e resistências. Atualmente, principalmente comunidades e povos tradicionais da região vêm sofrendo com a emergência e a materialização de novas ameaças e tensões com empresas transnacionais, latifundiários, madeireiros, grileiros, elites locais e regionais. Conflitos decorrentes do processo de territorialização por agentes econômicos ligados à logística de transporte e portuária, sobretudo, os do agronegócio, localizados no Oeste do Pará e Baixo Tocantins (Abaetetuba). Partindo desse campo de tensões e resistências, este artigo tem como objetivo identificar e analisar as ações de resistência realizadas pela Paróquia Nossa Senhora Rainha da Paz em face da territorialização portuária do agronegócio, em Abaetetuba, Pará (2016-2018).


Texto completo:

80-103


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2019.41209



ISSN: 1980-4490

 Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional     Portal de Periódicos da CAPES