OITENTA ANOS DE GEOPOLÍTICA NO BRASIL: DA GEOGRAFIA MILITAR A UM PENSAMENTO ESTRATÉGICO NACIONAL

Hérvé Thiery, Wanderley Messias da Costa

Resumo


Evocar a Geopolítica brasileira faz inevitavelmente pensar – nos meios interessados no tema – nos generais da época da ditadura militar (1964-1985) que, na verdade, se apoiaram muito em argumentos geopolíticos para justificar suas políticas internas e externas. Sem negar o uso muito ideológico da Geopolítica durante este período, devemos, no entanto, colocá-la em perspectiva - os militares deixaram o poder há quase trinta anos - e ter em conta as mudanças no Brasil, que se tornou atualmente um dos grandes "países emergentes", para ver ao mesmo tempo como evoluiu o pensamento geopolítico brasileiro e como a mudança de status do país se reflete - ou não - na visão que os brasileiros têm do mundo que os cerca e o lugar que eles ocupam nesse mundo.

Analisaremos, assim, em primeiro lugar, a nova Geopolítica brasileira, que se “civilizou” gradualmente, no sentido próprio do termo, à medida que passava das mãos dos militares para a dos civis, dando atenção especial a dois conjuntos estratégicos para o Brasil, a América do Sul e a Amazônia. Por este prisma e em função da nova situação do Brasil na divisão internacional do trabalho, poderemos então tentar medir o fluxo de relações que daí emanam, ou são conduzidas (analisando suas ligações aéreas e seu comércio exterior), de modo a tentar compreender como o mundo é visto do Brasil e qual é atualmente o seu lugar no mundo.


Texto completo:

4-21


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2016.26780

ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional