ENSAIO DE GEOGRAFIA FILOSÓFICA: DA CRÍTICA À FRAGMENTAÇÃO GEOGRÁFICA AO PLANO DE UMA HERMENÊUTICA DOS FENÔMENOS TERRESTRES

Humberto Goulart Guimarães

Resumo


O trabalho é pautado na passagem da crítica ao plano. No primeiro momento busca-serevelar alguns dos fatos que fragmentaram o objeto da Geografia em três segmentosque não se interconectam pelo método, indicando que três dicotomias básicas formama Geografia do presente: Ser/Devir; Homem/Natureza; e Sujeito/Objeto. Cada umarelacionada com os paradigmas de mudança do método desta ciência levando aoquestionamento da extinção da Geografia, sua descrição pura de conceitos e das"ciências geográficas". O segundo momento ocorre como plano, que busca naproposta de uma Geografia Filosófica enquanto hermenêutica dos fenômenosterrestres. Como metodologia buscou-se a releitura de autores "clássicos" da Geografiamoderna através das categorias e princípios lógicos do método geográfico. O principalobjetivo é contribuir tanto para integração do método geográfico filosófico quantopara a consciência da condição humana terrestre perante as iniquidades vigentes.

Texto completo:

166-191


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2015.18140

ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional