IMPLANTAÇÃO DA COMPANHIA SIDERÚRGICA DO ATLÂNTICO NA BAÍA DE SEPETIBA-RJ

Patrícia Santiago Pato

Resumo


A Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) é  uma parceria da Companhia Vale do Rio Doce com a alemã Thyssenkrupp, cujo investimento é da ordem de € 5,2 bilhões de euros. A produção prevista é de cinco milhões de toneladas de placas de aço por ano, resultando no aumento de 40% das exportações brasileiras no setor siderúrgico.

A siderúrgica está localizada na região administrativa de Santa Cruz - município do Rio de Janeiro na porção oeste da metrópole fluminense, nas margens da Baía de Sepetiba. A instalação da empresa na região consiste no maior investimento privado da América Latina e o empreendimento está numa localidade extremamente impactada por grandes empreendimentos como a Casa da Moeda e a White Martins e vários projetos novos a serem implementados como Porto Sudeste e a construção de um estaleiro de grande porte da Marinha do Brasil.

Este trabalho tem por objetivo investigar o processo de implantação do Complexo Siderúrgico do Atlântico (CSA) entre os anos de 2005 e 2010. A pesquisa encontra-se em fase de andamento. A metodologia utilizada conta com o apoio teórico do autor Carlos Vainer (1992) a partir do conceito de Grandes Projetos de InvestimentoOs dados que serão apresentados foram desenvolvidos com base em pesquisas bibliográficas, imagens, mapas, depoimentos por parte da população, entre outros.

A empresa entrou em operação no dia 18 de junho de 2010 e a instalação está repercutindo em diversos problemas socioambientais como a expulsão de 75 famílias do Movimento Sem Terra e a criação de uma área de exclusão da pesca numa região que possui atividades econômicas como a pesca e o turismo.

Com a instalação dos empreendimentos previstos na região: as novas usinas- Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA) e a Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), o Estado do Rio de Janeiro passará a ser o maior produtor de aço do país e um dos maiores da América Latina.

 

Abstract

Deployment of the Company Atlantic in Sepetiba Bay-RJ

 

The Steel Company of the Atlantic Ocean (CSA) is a partnership of Vale do Rio Doce Company with the german Thyssenkrupp, whose investment is of the order of €5.2 billion. The planned production and five million tons of steel slabs per year, resulting in an increase of 40% of the brazilian exports in the steel industry.

The steel plant is located in the administrative region of Santa Cruz - city of Rio de Janeiro in western portion of the fluminense´s metropolis on the banks of the Bay of Sepetiba.

The installation of the company in the region is the largest private investment in Latin America and the resort is a place highly impacted  for large projects such as the Home of the Currency and the White Martins and several new projects to be implemented as a Southeast Port and the construction of a yard of large size of the Brazilian Navy.

This work has for objective to investigate the process of implementation of the Complex

Steel of the Atlantic (CSA) between the years 2005 and 2010. The methodology used  with the support of theoretical author Carlos Vainer (1992) from the concept of Large Investment Projects. The data that will be presented were developed on the basis of bibliographical searches, images, maps, statements on the part of population, among others.

The company went into operation on June 18, 2010 and the facility is  reflecting on various environmental problems such as the expulsion of 75 families the Movimento dos Sem Terra (MST) and the creation of an area of exclusion of fishing in a region it has economic activities such as fishing and tourism.

With the installation of the ventures provided for in the region: the new power plants Steel Company of the Atlantic (CSA) and the National Steel Company (CSN), the State of Rio de January will be the largest steel producer in the country and one of the largest in Latin America.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/tamoios.2010.1419



ISSN: 1980-4490

Periódicos Capes Resultado de imagem para logotipo biblioteca nacional