Ensino de Biofísica: entre o equilíbrio, o desequilíbrio e a auto-organização em sistemas biológicos

Mayara Gomes da Silva, Márcia Adelino da Silva Dias, Karla Patrícia de Oliveira Luna

Resumo


A Biofísica consiste em uma ciência transdisciplinar que integra temas e áreas diversas, constituindo um componente curricular essencial aos cursos das áreas das Ciências Biológicas e da Saúde. Entretanto, as pesquisas referentes ao ensino-aprendizagem desta área, apontam algumas questões desafiantes, tais como: abordagem estritamente física ou biológica dos conteúdos, escassez de propostas didáticas, bem como de pesquisadores e referenciais, em especial, no que concerne ao curso de Ciências Biológicas. Nesse contexto, a abordagem da Biofísica que apresentamos neste trabalho corresponde a uma incursão desta área na complexidade, tendo em vista um ensino de Biofísica mais integrativo. Assim, temos o objetivo de discutir as interconexões entre a termodinâmica do não-equilíbrio e as ciências da vida, suas influências no desenvolvimento de uma “nova Biofísica”, bem como as suas implicações no ensino de Biofísica. Argumentamos que o ensino de Biofísica que emerge com os estudos da termodinâmica dos sistemas vivos, aproxima-se da construção de um conhecimento transdisciplinar ou complexo, evidenciando as articulações e/ou interconexões entre as proposições das ciências, entre os componentes curriculares e os diversos tipos de conhecimentos e contextos, de modo a contribuir para compreensões e explicações mais profundas e amplas sobre determinada temática ou problemática a que se propõe.


Palavras-chave


Complexidade; Biologia; Termodinâmica; Educação Biológica

Texto completo:

PDF

Referências


Almeida, D. F. A contribuição de Carlos Chagas Filho para a institucionalização da pesquisa científica na universidade brasileira. História, Ciências, Saúde – Manguinhos. Rio de Janeiro; v. 19, n.2, p. 653 -668, 2012.

BIOPHYSICAL SOCIETY. What is Biophysics? Disponível em: https://www.biophysics.org/about-bps/society-s-history. Acesso em 14 de Fevereiro de 2019;

BISCHOF, M. Some remarks on the history of Biophysics (and its future). Current Development of Biophysics, v. 22, 1996.

___________. Introduction to integrative biophysics. In: POPP, F. A.; BELOUSSOV, L. Integrative Biophysics – Biophotonics (pp. 1 – 115). New York: Springer Science & Business Media Dordrecht, 2003.

BULLFINCH, T. O livro de ouro da mitologia: história de deuses e heróis. Tradução: David Jardim. Rio de Janeiro: Ediouro, 2006.

CAPRA, F. As conexões ocultas: ciência para uma vida sustentável. 11ª ed. São Paulo: Cultrix, 2009.

_________. O ponto de mutação: a ciência, a sociedade e a cultura emergente. 30ª ed. São Paulo: Cultrix, 2012.

CAUDURO, P. J.; LUDKE, E. Revisão bibliográfica sobre o ensino de Biofísica: uma análise de artigos de 2004 a 2013. Vivências, v.13, n.24, p. 418 – 424, 2017.

CORSO, G. Os conteúdos das disciplinas de biofísica e a física. Revista Brasileira de Ensino de Física, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 2703.1 – 2703.4, 2009.

DI CORPO, U.; VANNINI, A. The New Thermodynamics and Life Energy. Syntropy Journal, v. 2, p. 33 – 46, 2012.

FÁVERO, A. A.; TAUCHEN, G. Epistemologia da complexidade e didática complexa: princípios e desafios. Educação e Filosofia. Uberlândia, v. 27, n.53, p. 175 – 192, 2003.

FILHO, M. S. G.; PENHA-SILVA, N. Uma Abordagem Termodinâmica da Vida. Ciência Hoje, v.37, n.221, p. 34 – 39, 2005.

FREIRE, W. H. C. Termodinâmica para licenciatura, um roteiro. 1ª ed. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2019.

FRUMENTO, A. S. Biofísica. México: Editora Intermédica, 1972.

GARCIA, E. A. C. Biofísica. São Paulo: SARVIER, 2002.

GERMANO, M. G. Uma nova ciência para um novo senso comum. Campina Grande: EDUEPB, 2011.

HENEINE, I. F. Biofísica Básica. Rio de Janeiro: Atheneu, 2008.

HERCULANO-HOUZEL, S. A vantagem humana: Como nosso cérebro se tornou superpoderoso. São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

KELLER, E. F. Ecosystems, organisms, and machines. BioScience, v. 55, n.12, p. 1069 – 1074, 2005.

___________. Organisms, Machines, and Thunderstorms: A History of Self-Organization, Part Two. Complexity, Emergence, and Stable Attractors. Historical Studies in the Natural Sciences, v.39, n.1, p. 1 – 31, 2009.

KELSON, J. A. S.; HAKEN, H. Novas leis antecipáveis no organismo: a sinergética do cérebro e do comportamento. In: Murphy, M. P.; O’Neill, A. J. O que é vida? 50 anos depois. Especulações sobre o futuro da biologia (pp. 159 – 185). Tradução: Laura Cardellini Barbosa de Oliveira. São Paulo: UNESP, 1997.

LEÃO, M. A. C. Introdução à Biofísica. Recife, PE: Editora Universidade Federal de Pernambuco, 1970.

LEITE, D. A. R.; SILVA, L. F. A Temática Ambiental nos Cursos de Licenciatura em Física de Instituições de Ensino Superior Públicas Situadas no Estado de São Paulo. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 20, p. 41 – 69, 2020. Disponível em: https://doi.org/10.28976/1984-2686rbpec2020u4169. Acesso em 30 de Maio de 2020.

LOVELOCK, J. The vanishing face of Gaia: A final warning. New York: Basic Books, 2010.

MAYR, E. O desenvolvimento do pensamento biológico: diversidade, evolução e herança. Brasília, DF: Editora Universidade de Brasília, 1998.

MEIS, L.; RANGEL, D. A respiração e a 1ª lei da termodinâmica, ou, A alma da matéria. Rio de Janeiro, RJ, 1998.

MINAYO, M. C. S. Da inteligência parcial ao pensamento completo: desafios da ciência e da sociedade contemporânea. Política & Sociedade, v.10, n.19, p. 41 – 56, 2011.

MORAES, M. C. O paradigma educacional emergente: implicações na formação do professor e nas práticas pedagógicas. Em aberto, v.16, n.70, 2008.

MOREIRA, C. H.; ROCHA, G. B.; TENÓRIO, A. C.; SILVA, R. M.; ROCHA, I. C. P. A Biofísica na formação do biólogo e a opinião dos docentes formadores da área. In: Anais do 16º Congresso Internacional de Tecnologia na Educação, p. 1 – 11. Recife, PE, 2018.

MORIN, E. O método II: a vida da vida. Porto Alegre: Sulinas, 2005a.

_______. Ciência com consciência. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005b.

MOURÃO JÚNIOR, C. A., & ABRAMOV, D. M. Curso de Biofísica. Rio de Janeiro: Guanabara, 2009.

MUÑOZ, J. C.; VALES, M.; CASSIBA, R. Hacia una Didáctica de la Biofísica distancia en el planteamiento de problemas de Física Aplicada y de Biofísica. Una propuesta em Biomecánica. En: Libro de resúmenes de la 95º Reunión Anual de la AFA, 2010.

MUÑOZ, J. C.; FLORES, M. V.; CASSIBBA, R. Por qué es necesaria una Didáctica de la Biofísica. Anales AFA, v. 23, n.1, 2011.

NUSSENZVEIG, H. M. Curso de Física Básica 2: Fluidos Oscilações Ondas e Calor. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2002.

ODUM, E. P.; BARRET, G. W. Fundamentos de Ecologia. Tradução da 5ª edição americana. São Paulo: Thompson, 2007.

PRIGOGINE, I. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. Tradução: Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1996.

____________. From being to becoming: time and complexity in the physical sciences. San Francisco: W.H. Freeman and Company, 1980.

____________. Structure, Dissipation and Life. In: Marois, M. Theoretical Physics and Biology (pp. 23 – 52). Amsterdam: North-Holland, 1969.

PRIGOGINE, I.; STENGERS, I. A nova aliança: metamorfose da ciência. Tradução: Miguel Faria e Maria Joaquina Machado Trincheira. Brasília, DF: Universidade de Brasília, 1997.

SANTOS, Z. T. S. Ensino de entropia: um enfoque histórico e epistemológico. (Tese de Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2009.

SCHNEIDER, E. D.; KAY, J. J. Life as a manifestation of the second law of thermodynamics. Mathematical and computer modelling, v.19, n. 6 – 8, p. 25 – 48, 1994.

________________________. Ordem a partir da desordem: a termodinâmica da complexidade biológica. In: Murphy, M. P.; O’Neill, A. J. O que é vida? 50 anos depois. Especulações sobre o futuro da biologia (pp. 186 – 201). Tradução: Laura Cardellini Barbosa de Oliveira. São Paulo: UNESP, 1997.

SCHRODINGER, E. O que é vida? O aspecto físico da célula viva, seguido de mente e matéria e fragmentos autobiográficos. Tradução: Jesus de Paula Assis e Vera Yukie Kuwajima de Paula Assis. São Paulo: UNESP, 1997.

TORRES, M. A. M. Biología de Sistemas... ¿qué biología de sistemas? Encuentros en la Biología, v. 4, n.136, p. 68 – 70, 2011.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2020.53510

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em: