Gestão do conhecimento nas relações da sociedade da informação pela web

Norival Carvalho Cunha, Thais Naiane Barcelos Cunha, Suiane Renata Pereira Costa, Nathália Barcelos Cunha

Resumo


A internet provocou uma revolução a todas as áreas do conhecimento, trazendo novas possibilidades e vários desafios, sendo o principal deles ensinar o gerenciamento dos inúmeros dados disponíveis, de maneira a transformá-los em informação e em conhecimento. Por meio dessa, os docentes podem contar com sistemas complexos e abrangente na ampliação do conhecimento e no preparo das aulas, podendo promover uma alteração na relação da escola com o meio social e, com isso, uma maior interação e envolvimentos de vários temas; o que poderá diminuir as distâncias e expandir muito além dos limites geográficos das salas de aula. Apesar das diferenças culturais existentes entre as gerações de professores e alunos, a web tem a capacidade de proporcionar desses profissionais a fim de torná-los agentes transformadores das novas gerações, aproximando-os pelo conhecimento e os auxiliando na compreensão da realidade além dos links da internet e equilibrando, ao mesmo tempo, o contexto da aula. O presente artigo tem por objetivo mostrar os impactos sofridos pelo sistema educacional nas relações de trabalho dos professores e a relação desses com a sala de aula a partir da influencia da internet. O referencial teórico aborda literaturas sobre tecnologias da informação, internet e sistema educacional em âmbito geral.

Palavras-chave


Internet; Educação; Gerações; Tecnologia

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO. T.W.; HORKHEIMER M. Dialética do Esclarecimento: fragmentos filosóficos. Tradução: Guido Antonio de Almeida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1985.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho: ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 3ed., São Paulo: Cortez, 1995.

_______________. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 1999.

ARROYO. Miguel G. Ofício de Mestre. Petropolis/RJ: Vozes. 2000.

BASSOS, I. S. Significado e sentido do trabalho docente. Revista Caderno CEDES, Campinas, v.19, n.44, 1998.

BRASÍLIA. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO - MEC. Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2013.

CARR, Nicolas G. A Geração Superficial: o que a Internet está fazendo com nossos cérebros. Tradução Mônica Gagliotti F. Friaça. – Rio de Janeiro:Agita, 2011.

CASTELLS, Manuel. A sociedade em rede. Volume I. Trad. Roneide V. Majer. 8. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

DUBET, F. MARTUCELLI, Danilo. À I’ école. Sociologie de l’ experience scolaire. Paris: Édition du Seuil, 1996.FACHIN. Odilia. Fundamentos de Metodologia. 5. ed. (ver.). São Paulo: Saraiva, 2006.

HIRATA, H. Sumiko (org.) O modelo japonês: automatização, novas formas de organização e de relações de trabalho. São Paulo: USP, 1993.

HYPOLITO, A. Moreira; GARCIA, Mª. Manuela Alves; VIEIRA, J. Santos. As identidades docentes como fabricação da docência. 2005.

JOAQUIM, Nelson. Direitos, deveres e valorização dos professores nas relações de trabalho. 2008. Disponível em: . Acesso em: 20 maio 2013.

LIBÂNEO, J.Carlos. Pedagogia e Pedagogos para quê? São Paulo: Cortez, 2002

____________ Democratização da Escola pública: a pedagogia crítica-social dos conteúdos. 8. ed. São Paulo: Loyola 1989.

KUROSE, J. F., & ROSS, K. W. (2012). Computer networking: A Top-Down Approach. 6ª Ed. Pearson Education.

KENSKI, Vani Moreira. Tecnologias e tempo docente. Campinas/SP. Papirus. 2013.

MORAN, J. Manuel. Novas tecnologias e mediação pedagógica. José Manuel, Marcos T.Massetto, Marilda A. Behrena. Campinas/SP. Papirus. 2000.

OLIVEIRA, D.A. Educação básica: gestão do trabalho e da pobreza. Petropolis/RJ: Vozes, 2000.

____________ Gestão democrática da Educação. Petrópolis/RJ: Vozes, 1997.

OLIVEIRA. Sidnei. Geração Y – o nascimento de uma nova versão de líderes. São Paulo: Integrante, 2010.

ROMANOWSKI, J.Paulin; MARTINS, P.L. Oliveira, JUNQUEIRA, Sérgio R.A. (Orgs.) Conhecimento local e conhecimento universal: pesquisa didática e ação docente. XII ENDIPE. Curitiba: Champagnat, 2004.

TARDIF, Maurice. Saberes Docentes e Formação Profissional. Petrópolis/RJ: Vozes. 2002.

____________ Saberes profissionais dos professores e conhecimentos universitários. Revista brasileira de Educação nº 13. 2000

TANENBAUM, A. S. (2011). Redes de Computadores. 5ª Ed. Pearson Education.

TODOS PELA EDUCAÇÃO (São Paulo). Portal Todos Pela Educação. 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2013.

UNESCO. Perfil dos professores brasileiros: o que fazem, o que pensam, o que almejam. São Paulo: Moderna, 2012.

VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1996.

____________ Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1998.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2017.26707

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em:

 


A partir da 7ª edição da Revista SUSTINERE (V.4, Nº2, 2016), todos os trabalhos das colunas Artigos, Comportamento e Ambiente, e Ensaios, são submetidos a um exame de confiabilidade através dos serviços do iThenticate, cujos relatórios são analisados pelos editores, para a aprovação da publicação destes.