Aplicação de técnica de APP em situação de deflorestamento na região metropolitana de Petrópolis – RJ

Amanda Santos de Alencar, Thereza Cristina Ferreira Camello, Josimar Ribeiro de Almeida

Resumo


A extensão e intensificação das atividades de produção em geral, como indústrias, a taxa de desmatamento apresenta-se em um nível alarmante. É de amplo conhecimento de toda sociedade as potenciais consequências que o desmatamento pode causar em áreas metropolitanas. Para a avaliação das consequências desse crescente fenômeno, é possível lançar mão de vários tipos de técnica de avaliação de impactos ambientais. Uma dessas opções é a Análise Preliminar de Perigo (APP), que se baseia em uma análise qualitativa e estatística, podendo ser utilizada em associação com outras técnicas de AIA (Avaliação de Impacto Ambiental). Esta técnica objetiva analisar os possíveis perigos (eventos indesejados), suas causas e consequências, onde é feita também uma análise de risco associado, sendo este a combinação entre as classificações de sua severidade e frequência, e o apontamento de recomendações de medidas mitigadoras. Dentre esses perigos identificados para este estudo, nenhum deles apresenta risco desprezível ou baixo (0%), 16% apresentam risco médio e alto e 66% apresentam risco crítico. Esses dados indicam que a situação de deflorestamento pode acarretar perigos com consequências graves para a área Metropolitana de Petrópolis, como enchentes e deslizamentos, o que sinaliza urgência na necessidade de gestão da área.

 

DOI: http://dx.doi.org/10.12957/sustinere.2015.20003


Palavras-chave


Deflorestamento; Análise Preliminar de Perigo (APP); Área Metropolitana de Petrópolis

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Laís Alencar de; ARAUJO, Gustavo Henrique de Sousa; ALMEIDA, Josimar Ribeiro; SOARES, Paulo Sérgio Moreira; POSSA, Mauro Valente.. Análise e avaliação de risco ambiental como instrumentos de gestão em instalações de mineração. In: SOARES, Paulo Sérgio Moreira; SANTOS, Maria Dionísia Costa dos; POSSA, Mario Valente (Ed.). Carvão Brasileiro: Tecnologia e Meio Ambiente. Rio de Janeiro: Cetem, 2008. p. 213-235.

ALMEIDA, Josimar Ribeiro de; SILVA, Carlos Eduardo; RODRIGUES, Manoel Gonçalves. Avaliação dos impactos ambientais do desflorestamento sobre o regime hídrico da região metropolitana de Petrópolis (RJ). Enginering Sciences, Aracaju, v. 1, n. 1, p.6-13, 31 ago. 2013. DOI: 10.6008/ess2318-3055.2013.001.0001.

Disponível em: Acesso em: 12 jun. 2015.

CAMACHO, Eliana Nogueira. Uma Proposta de Metodologia para Análise Quantitativa de Riscos Ambientais. 2004. 140 f. Tese (Doutorado) - Curso de Ciências em Engenharia Civil, Coordenação dos Programas de Pós-graduação de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (COPPE), Rio de Janeiro, 2004.

Disponível em: Acesso em: 10 jun. 2015.

OAB-RIO DE JANEIRO. Prefeitura de Petrópolis é condenada por autorizar desmatamento.

Disponível em: Acesso em: 06 fev. 2015.

PREFEITURA DE PETRÓPOLIS. Operação do GPA evita desmatamento em Itaipava. Disponível em: Acesso em: 06 fev. 2015.

SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E URBANISMO. Plano Diretor de Petrópolis – Diagnóstico – Versão 1. Petrópolis: Prefeitura Municipal de Petrópolis, 2012. 89 p. Disponível em: Acesso em: 12 jun. 2015.

SENADO FEDERAL. Relatório da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) vê avanços.

Disponível em: Acesso em: 26 jan. 2015.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2015.20003

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em:

 


A partir da 7ª edição da Revista SUSTINERE (V.4, Nº2, 2016), todos os trabalhos das colunas Artigos, Comportamento e Ambiente, e Ensaios, são submetidos a um exame de confiabilidade através dos serviços do iThenticate, cujos relatórios são analisados pelos editores, para a aprovação da publicação destes.