O estudo da diferença de potencial (DDP) a partir de reação de oxirredução (pilha) e aplicação da modelagem e simulação computacional

Yan Pedro Ulrich Mendes Ferreira, Alan Freitas Machado, Diego Barbosa Moura, Claudio Elias da Silva

Resumo


A proposta desse trabalho é descrever uma experiência bem sucedida de ensino e aprendizagem aplicada a um grupo de estudantes do ensino médio com emprego do software educacional Modellus para simular uma reação de oxirredução em meio de ácido cítrico com eletrodos de ferro e cobre (pilha) e com isto objetiva-se estudar o comportamento do sistema através dos valores da energia potencial (DDP) que são fornecidos pela modelagem em função do volume de solução e confrontá-los com os valores obtidos experimentalmente. Observa-se então que o processo de criação da modelagem computacional vai além de uma melhora apenas nos conhecimentos teóricos dos alunos, estimulando-os a questionarem sobre toda a teoria envolvida no processo de criação da modelagem, propondo sugestões e buscando soluções para que contornem alguns problemas e limitações do software. Sendo assim, os alunos são levados para além de uma aprendizagem puramente teórica e abstrata, possibilitando que se apropriem dos fundamentos matemáticos e físicos envolvidos no processo de ensino e aprendizagem, desenvolvendo um olhar crítico e estabelecendo sua autonomia através do diálogo entre seus pares e o professor.

 

 

DOI: 10.12957/sustinere.2016.19689


Palavras-chave


Software educacional; Aprendizagem; Modelagem computacional; Modellus

Texto completo:

PDF

Referências


ALVEZ, L e NOVA, C. Educação a Distância: uma nova concepção de aprendizagem e epistemologia.São Paulo: Editora Futura, 2003.

ATKINS, P e JONES, L. Princípios de Química: Questionando a Vida Moderna e o Meio Ambiente.Porto Alegre: Editora Bookman, 2006, p 549-552.

BRASIL. Lei nº 522, de 9 de abril de 1997. Estabelece a criação do Programa Nacional de Informática na Educação. Diário Oficial [da República Federativa do Brasil], Brasília, DF, Nº 69, 11 ABR 1997. Seção 1, p 7089.

BRASIL. Lei nº 6.300, de 12 de dezembro de 2007. Dispões sobre o Programa Nacional de Tecnologia Educacional – ProInfo. Diária Oficial [da República do Brasil], Brasília, DF, Nº 239, 13 DEZ 2007. Seção 1, p 3.

BRASIL, MISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

CONTROLADORIA GERAL DA UNIÃO. Relatório de Avaliação da Execução de Programas de Governo nº 16 Infraestrutura de Tecnologia para Educação Básica Pública (PROINFO). Brasília, 2013. P 8.

FELTRE, R. Química Volume 2: Físico-Química. 6ª ed. São Paulo: Moderna, 2004. p. 282-305.

FONSECA, M. R. M. Química 2. 1ª ed. São Paulo: Ática, 2013. p 265.

HENRIQUES, V. B.; PRADO, C. P. C.; VIEIRA, A. P. Editorial Convidativo: aprendizagem ativa. São Paulo: Revista Brasileira de Ensino de Física, 20014, p. 4001-4002.

MACHADO, Alan Freitas; COSTA, Leonardo de moura. A utilização do software MODELLUS no ensino da Física. Interagir: pensando a extensão. Rio de Janeiro. n. 14, 2009. Disponível em: . Acesso em 28 de maio de 2016.

RIBEIRO, T. Voltímetro e Amperímetro. InfoEscola Navegando e Aprendendo.s.d. Disponível em . Acessado em 27 de maio de 2016.

RIO DE JANEIRO. Currículo Mínimo 2012 Química. Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro 2012. Disponível em < http://www.rj.gov.br/web/seeduc/exibeconteudo?article-id=759820>. Acesso em: 27 de maio de 2016.

SALA DE DEMONSTRAÇÕES DE FÍSICA. Galvanômetro de D´Arsonval. Departamento de Física da UFMG. I. Disponível em . Acessado em 27 de maio de 2016.

SIMÕES, D e GARCÍA F. A Pesquisa Científica com Linguagem e Práxis.Rio de Janeiro, Publicações Dialogarts, 2014, p 47 - 62.

TEODORO, Victor Duarte; VIEIRA, João Paulo Duque; VIEIRA, Pedro Duque. Modellus v4.5. Lisboa:

Modellus, 2015. Software freeware disponível em: < http://modellus.co/index.php/pt/>. Acesso em 27 de maio de 2016.

TINIO, Victoria L. ICT in Education. Nova Iorque: Information and Communication Technologies (ICT) for Fevelopment, 2003. Disponível em: . Acesso em: 26 de maio de 2016.

VALENTE, J. A. Computadores e Conhecimento: representando a educação. São Paulo: Gráfica Central UNICAMP, 1998.




DOI: https://doi.org/10.12957/sustinere.2016.19689

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


   Resultado de imagem para blogger icon   

 

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

ISSN 2359-0424

A Revista SUSTINERE está indexada/cadastrada em:

 


A partir da 7ª edição da Revista SUSTINERE (V.4, Nº2, 2016), todos os trabalhos das colunas Artigos, Comportamento e Ambiente, e Ensaios, são submetidos a um exame de confiabilidade através dos serviços do iThenticate, cujos relatórios são analisados pelos editores, para a aprovação da publicação destes.