As chaves de casa de A chave de Casa

Vagner Leite Rangel, Flavia Maia Bomfim, Marilene da Silva Costa, Iza Terezinha Quelhas

Resumo


Este texto representa um esforço para pensar a produção romanesca da sociedade moderno-contemporânea sob o rótulo de escrita autobiográfica, confessional e autoficção, categorias distintas que se ateiam na tecelagem literária, e que investem num olhar para trás a fim de reavaliar o mundo e/ou se integrar ao mesmo numa espécie de “redenção-sem-deus”, uma vez que o sujeito contemporâneo é marcado ainda mais pela fragmentação da infraestrutura e superestrutura que sustenta/va a Idade Moderna, que caracteriza a situação da sociedade contemporânea ou pós-moderna, ainda que, paradoxalmente, os mitos, no sentido original da palavra, estejam presentes no imaginário moderno. A partir daí trabalharemos com o romance A chave de casa, de Tatiana Salem Levy (2009), publicado pela editora Record, e o texto crítico-literário de Silviano Santiago (2011), Meditação sobre o ato de criar, publicado pela Revista Gragoatá, da Universidade Federal Fluminense (UFF). DOI 10.12957/soletras.2013.6081


Palavras-chave


Produção literária contemporânea. Discurso autobiográfico. Discurso confessional. Autoficção. Identidade/identificação.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2013.6081

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br