SOCIEDADE, IDENTIDADE E LINGUA(GEM) NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

Juliana Sousa Trajano

Resumo


Será a escola mera reprodutora da vida, da sociedade fora dosseus muros? Será a escola uma sociedade à parte, em que os indivíduosque a compõem exerçam, assumam papéis específicos a estescontextos? É possível pensar na existência da instituição escolar semse considerar as relações humanas entrelaçadas neste meio? Bom,por experiência daquela que escreve o presente texto, pode-se constatar:a escola, apesar de todo e qualquer avanço tecnológico, é umorganismo vivo, tendo como fonte de energia o diálogo, sendo constituídapor uma enorme e complexa cadeia de vínculos em micro emacroníveis.Para dar forma e conteúdo a este debate, visando desenvolveralgumas reflexões envolvendo a escola, todos aqueles que, ao interagirem,a constroem, e a sociedade (seja ela dentro ou fora dos murosda escola), estabelecemos logo aqui o grupo, o segmento a ser focalizadoao longo desta discussão. Não, não trataremos das séries iniciais de ensino, tampouco daquelas que abarcam os jovens aspirantesao ensino superior. Tratar-se-á de uma parte historicamente renegada,inclusive oficialmente, politicamente, conhecida por seu passadoe ainda presente de lutas: a educação de jovens e adultos (EJA).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2011.5302

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br