A metaftonímia presente na construção X virar Uber

Roza Maria Palomanes Ribeiro

Resumo


O presente artigo tem como objeto de estudo a construção X virar Uber. O fenômeno da uberização, crescente no Brasil e que   levou desempregados a se cadastrarem como motoristas do aplicativo administrado pela empresa UBER resultou no surgimento da construção em estudo frequente na fala do brasileiro. O propósito da pesquisa é analisar a construção sob o viés teórico da Linguística Cognitiva, mais especificamente no que tange os processamentos metafórico e metonímico (Lakoff e Johnson (2002), Radden e kövecses, (2007),  Lakoff e Turner (1989), Croft (1993)  e Gossens (2002)). Para tanto, coletaram-se dados através da ferramenta de buscas GOOGLE, levando-se em conta as 100 primeiras ocorrências distribuídas nas 10 primeiras páginas de busca, optando-se por um tratamento qualitativo dos dados. Após seleção e análise dos dados coletados, chega-se à conclusão de que ocorre, neste caso estudado, o fenômeno da metaftonímia do tipo metáfora da metonímia, em que a entidade conceptual Empresa Uber provê acesso mental à entidade conceptual motorista de aplicativo, dentro do mesmo domínio, configurando o processo metonímico. E, ao mesmo tempo, se dá um   mapeamento entre domínios da experiência sustentados pela metáfora O HOMEM É UMA ENTIDADE NÃO HUMANA. Espera-se, com a pesquisa, contribuir para os estudos sobre metaftonímia.


Palavras-chave


Metáfora. Metonímia. Metaftonímia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2021.52964

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br