NOMINALIZAÇÃO, MEMÓRIA DISCURSIVA E ARGUMENTAÇÃO

Hilda de Oliveira Olímpio

Resumo


A meta deste trabalho é mostrar como a estratégia de nominalizaçãocria objetos-de-discurso (e não referentes previamente definidos)que se alimentam da memória discursiva dos interlocutores, aqual constitui ponto fundamental para a direção argumentativa dostextos com discurso opinativo. Apoiando-se num quadro teórico jádefinido pela lingüística interacional (MONDADA & DUBOIS,1995; KOCH & MARCUSCHI, 1998) em associação com o conceitode pressuposição, oriundo da semântica argumentativa (DUCROT,1978 e 1984), esta análise busca explicar a ocorrência de estruturasresultantes de nominalização como uma estratégia socialmente trabalhada,dependente de discursos anteriores sobre os quais os interlocutoresatuam. Nessa linha de investigação, a noção de contexto abarcaa memória de lugares discursivos prévios, que alimentam novos discursos,numa dialogia entre um já-dito e um novo dizer. Os dados reforçamessa proposta, sugerindo que este é um veio rico a ser explorado.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br