A VERDADE MÍTICA E A FALA POÉTICA EM UBIRAJARA, DE JOSÉ DE ALENCAR

Alexandra Vieira de Almeida

Resumo


No Ubirajara, José de Alencar pretendia teoricamente apresentar
o índio ideal, o protótipo do “bom selvagem”. Por outro lado,
queria afirmar a verdade última do mito, o “dizer primordial”, já que a cultura antes do descobrimento, a cultura pré-americana, apresentava-se como modelo primordial, encerrando as possibilidades de futuras transformações a partir da contaminação histórica. Assim, Ubirajara seria uma forma primeira, um protótipo de todas as significações e de todos os valores que os arquétipos míticos nos trazem. Mircea Eliade no livro Aspectos do mito, define bem esta “perfeição dos primórdios”.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br