A CENA ABERTA: MULTIPLICIDADE POLIFÔNICA NAS NARRATIVAS DE SÉRGIO SANT’ANNA E JOÃO GILBERTO NOLL

Maria Isaura Rodrigues Pinto

Resumo


Ítalo Calvino aponta, dentre as principais qualidades da arteliterária nesta virada de milênio, a multiplicidade como sendo um deseus atributos particularmente essenciais. A multiplicidade, segundoo crítico e escritor, se constitui numa vocação do romance contemporâneopara se compor como “rede de conexões entre os fatos, entreas pessoas, entre as coisas do mundo” (CALVINO, 1994, p. 121).Com efeito, grande parte da produção romanesca atual tem seu projetoestético calcado na multiplicidade, aspecto que norteia as açõese os pensamentos no mundo globalizado. A contemporaneidade évista como uma trama de signos, de discursos, de acontecimentossimultâneos que constroem realidades plurais e mutantes, cuja heterogeneidadenão cabe mais nos limites de uma narrativa ordenada ehierarquizada.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br