Do romance ao filme: transferência e tradução na adaptação Dom

Angélica Catiane da Silva de Freitas, Márcia Gomes Marques

Resumo


Este trabalho tem como objetivo discutir acerca da adaptação da literatura para o audiovisual, desde seus aspectos de transferência e de tradução de elementos de um suporte para outro, considerando obras com diferentes de linguagens e o deslocamento de contexto histórico-social de produção na reproposição temática. Com esse fim, analisa-se o filme Dom, de Moacyr Goés, produzido em 2003, aproximadamente um século após a escritura do romance Dom Casmurro, de Machado de Assis, no qual foi inspirado. Verificam-se, neste caso, as alterações relativas às ações, aos acontecimentos e à composição dos personagens da narrativa na construção da obra derivada. Identifica-se, nesse caso, a transposição entre lógicas de produção e consumo diversas, pois o texto derivado aproveita o anterior e o repropõe desde os formatos industriais da cultura midiática, e levando em consideração as expectativas do público na recomposição temática do texto-fonte. Para tanto, enxuga aspectos da história, focalizando na última parte do romance, e recompõe o final, que passa a ser marcado pela superação dos problemas e pelo compromisso perseverante com a felicidade.


Palavras-chave


Audiovisual; Tradução; Narrativa

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2016.25357

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br