Relendo Bilac com Junqueiro: a vida após o Éden!

Milton Francisco

Resumo


Olavo Bilac, juntamente com os demais poetas parnasianos, em geral é classificadocomo secundário pela crítica, sobretudo devido à relevância da forma em sua poesia. Nossahipótese é a de que a Teopoética – ramo recente da literatura voltado ao discurso literáriosobre Deus – pode contribuir para outra significação desse poeta brasileiro. Utilizamos daCrítica Temática e da Literatura Comparada na releitura do seu poema “Alvorada do Amor” –em que a voz lírica sugere que se pode falar da Vida somente após a saída de Adão e Eva doÉden –, comparando-o com o poema “A Árvore do Mal”, do poeta português GuerraJunqueiro, e com o capítulo “A queda”, do Gênesis.

Palavras-chave


Olavo Bilac; Guerra Junqueiro; Poesia brasileira; Poesia portuguesa; Teopoética.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/soletras.2015.16160

Licença Creative Commons

SOLETRAS online - ISSN 2316 8838

Revista do Departamento de Letras

Faculdade de Formação de Professores da UERJ

Rua Dr. Francisco Portela, 1470 - Patronato - São Gonçalo - RJ

Cep: 24435-005 - e-mail: soletrasonline@yahoo.com.br