ANÁLISE COMPARATIVA DE PARÂMETROS HIDRÁULICOS PARA DIMENSIONAMENTO DE TECNOLOGIAS EM ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO

Daniella de Lima Moraes, Ana Silvia Pereira Santos, Daniele Maia Bila, Luis Carlos Soares Silva Júnior, Bruna Magalhães Araujo

Resumo


As tecnologias de tratamento de esgotos, combinadas entre si, devem propiciar o melhor desempenho de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), dentro de suas condições operacionais.  Para o dimensionamento hidráulico e sanitário de cada tecnologia, são utilizados diferentes parâmetros e um maior entendimento desses, contribui para implantação de ETEs mais eficientes. Neste sentido o presente trabalho realizou uma análise comparativa entre os parâmetros hidráulico sanitário por meio de rearranjos das equações de dimensionamento do decantador primário, decantador secundário, reator UASB e seu compartimento de decantação, além das lagoas anaeróbia, facultativa e de polimento. Para tanto foram abordados os seguintes parâmetros: Taxa de Aplicação Superficial (TAS), Tempo de Detenção Hidráulica (TDH), Taxa de Aplicação Orgânica (TAO), Carga Orgânica Volumétrica (COV) e Profundidade (H). Por fim foram simuladas diversas condições operacionais, por meio da variação das faixas limite de valores propostos nas diversas bibliografias adotadas. Os resultados do estudo mostraram que algumas condições estabelecidas a partir de valores recomendados na NBR 12.209:2011 e na literatura não são aplicáveis e/ou viáveis de serem implementadas. Em termos de tratamento anaeróbio, o reator UASB se mostrou o mais eficiente, como previsto. Assim como, os resultados encontrados para as lagoas facultativas e de polimento, que confirmam o princípio de tratamento adotado em cada unidade. Quanto aos resultados encontrados a respeito dos decantadores primários e reatores UASB, através dos cálculos teóricos, foi possível observar que existem condições que permitem a adoção de áreas mais reduzidas, quando elevadas as profundidades, mantendo a eficiência do sistema de tratamento.

Palavras-chave


taxa de aplicação superficial, carga orgânica volumétrica, taxa de aplicação orgânica, tempo de detenção hidráulica, profundidade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2020.45940

Direitos autorais 2020 Daniella de Lima Moraes, Ana Silvia Pereira Santos, Daniele Maia Bila, Luis Carlos Soares Silva Júnior, Bruna Magalhães Araujo


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.