AVALIAÇÃO DO FUNCIONAMENTO DE BARRAGINHAS EM SOLOS DE TEXTURA MÉDIA E ARENOSA

Adrielle Ferreira Brito, Victor Rodrigues Aragão, Ana Clara Soares de Souza, Emílio Rodrigues Versiani Júnior

Resumo


O presente estudo buscou avaliar o funcionamento de diferentes barraginhas na comunidade de Abóboras, no estado brasileiro de Minas Gerais, em função dos seus propósitos primários, relativos à contenção e infiltração das águas advindas das precipitações. Para o alcance do objetivo proposto, estabeleceu-se em metodologia como critérios a serem avaliados: condições atuais de dimensão, granulometria de solos para classificação quanto a texturas e determinação dos cálculos de velocidade de infiltração básica. Os resultados apontaram que as 8 barraginhas avaliadas no estudo estão com seus funcionamentos comprometidos, sendo as identificadas em 3 e 8 com taxas mais distantes da ideal (30 mm.h-1), sendo 11,33 mm.h-1 para a barraginha 3 e 11,99 mm.h-1 para a 8. Os dados alcançados em função de texturas de solos e dimensões refletiram em forte convergência às taxas de infiltração, levando à conclusão de que além de 25% dos sistemas avaliados se apresentarem sob textura média granulométrica, o acúmulo dos sedimentos pela falta de monitoramento se fez evidente, com redução da taxa média de profundidade de 1,5 para 0,32 m em 11 anos. Foi possível concluir que os solos das barraginhas apresentam altas capacidades de infiltração, contudo, suas estruturas estão operando com sobrecarga, necessitando portanto de manutenção, nas quais devem aduzir uma periodicidade de 5 anos

Palavras-chave


Contenção; precipitações; granulometria de solos; velocidade de infiltração básica; sedimentos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2019.40585

Direitos autorais 2019 Adrielle Ferreira Brito, Victor Rodrigues Aragão, Ana Clara Soares de Souza, Emílio Rodrigues Versiani Júnior


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.