Concentrações de poluentes atmosféricos no Rio de Janeiro em relação a normas nacionais e internacionais

Eduardo Monteiro Martins, Aline Ribeiro Meireles, Francisca Rodrigues Magalhaes, Josie Batista Bastos Carvalho, Maycon Maia Ribeiro

Resumo


Este trabalho avaliou as concentrações dos poluentes atmosféricos monitorados pelas estações automáticas de monitoramento da SMAC, comparando-nos aos padrões de qualidade do ar da legislação nacional e com as importantes legislações internacionais. Os dados utilizados foram as médias horárias, as médias de três horas, de oito horas e de vinte e quatro horas, e compreendem o período entre 01/01/2012 e 31/12/2013. O ozônio (O3) foi o poluente que apresentou o maior número de violações em todas as estações quando a comparação foi feita com o padrão da Resolução CONAMA 03/90 que é de 160 µg.m-3. O maior número de ultrapassagens foram Bangu, Irajá e Campo Grande com, respectivamente, 215, 189 e 77 ultrapassagens. O cálculo do coeficiente de correlação e o resultado da análise de clusters mostrou que as estações de monitoramento da SMAC possuem dois grupos semelhantes.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2017.25799

Direitos autorais


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.