Avaliação preliminar dos efeitos da ineficiência dos serviços de saneamento na saúde pública brasileira

Patrícia da Silva Figueiredo Ferreira, Patrícia Constantino Motta, Tayane Crispim de Souza, Thiago Paulo da Silva, Juliana Ferreira de Oliveira, Ana Silvia Pereira Santos

Resumo


Sendo o saneamento básico um serviço de infraestrutura fundamental na promoção da saúde pública em uma localidade, este trabalho foi realizado com o objetivo de relacionar os impactos na saúde da população e os custos gerados, devido à ineficiência do serviço de saneamento ambiental no Brasil. Destacam-se para a elaboração desse estudo duas etapas: 1) análise do número de casos, por região geográfica, de 10 dentre as principais doenças de veiculação hídrica no período de 2001 a 2010; e 2) comparação entre o número de casos das mesmas doenças com as informações de gastos/investimentos em saúde e saneamento e crescimento populacional no mesmo período. Pode-se verificar que o número de casos ao longo dos anos não sofreu retrocesso significativo, como seria de se esperar. Isso pode ser justificado pela falta de investimentos adequados em saneamento gerando, portanto, uma má prestação dos serviços de coleta e tratamento de esgoto sanitário, de gestão de resíduos sólidos urbanos, de manejo de águas pluviais urbanas e de abastecimento público de água. A ineficiência destes serviços implica diretamente no aumento dos gastos com a saúde pública para tratar os sintomas das doenças de veiculação hídrica, gerando um modelo de gestão insatisfatório. Assim, o estudo afirma a importância do saneamento, como forma preventiva e eficaz, na melhoria dos índices de saúde pública no Brasil.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/ric.2016.24809

Direitos autorais


 

ISSN: 2316-7041 | Indexada em:

 

Licença Creative Commons

A Revista Internacional de Ciências está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.