INFÂNCIA, MÍDIA E A EXPERIÊNCIA DA MULTITERRITORIALIDADE

Iara Vieira Guimarães

Resumo


Neste trabalho, procuramos refletir sobre o contexto em vivem as crianças contemporâneas e, a partir dele, os discursos elaborados pela mídia sobre e para elas. As perguntas que direcionam nossa reflexão podem ser assim resumidas: O que significa pensar a infância em uma sociedade organizada em rede, que vivencia a experiência da multiterritorialidade de modo cada vez mais acentuado? Como os artefatos culturais midiáticos produzidos para o público infantil captam essa problemática e constroem discursos sobre o mundo globalizado e os chamados territórios-redes para as crianças? Tomamos a mídia como objeto de investigação e, dentre os inúmeros gêneros e suportes midiáticos, escolhemos estudar os textos jornalísticos da imprensa direcionados ao público infantil. Analisamos como o suplemento semanal Folhinha, publicado pela Folha de São Paulo, jornal de maior circulação no país, explica e ensina às crianças sobre as novas relações estabelecidas entre o lugar e o mundo, sobre o significado de território, sobre o fenômeno da globalização e todas as suas implicações atuais como o encurtamento das distâncias, a relação com a cultura do outro e a produção da própria identidade.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional