EM BUSCA DA AUTONOMIA DOCENTE NAS PRÁTICAS CURRICULARES

Antonio Flavio Moreira

Resumo


O presente texto aborda a relação entre políticas e práticas curriculares. Focaliza primeiramente o ensino médio. Examina as Diretrizes Curriculares Nacionais de 1998 e de 2011. Nessas últimas, destaca as ‘expectativas de aprendizagem’, a serem definidas pelo Ministério da Educação. Associa-as à cultura da performatividade, à qual contrapõe a valorização do profissionalismo docente. Argumenta que o fortalecimento do profissionalismo pode favorecer uma prática competente centrada em conhecimentos especializados e estimular a colaboração entre os professores e os demais sujeitos interessados no processo educativo. Para isso, é indispensável resgatar a confiança no professor. Essa perspectiva pode estimular uma relação autônoma, crítica e criativa dos docentes com as políticas curriculares.

Palavras-chave: políticas curriculares – práticas curriculares –performatividade – profissionalismo docente – estratégias de aprendizagem.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional