UMA LEITURA ACERCA DE VINCULAÇÕES ENTRE O PROGRAMA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZADORES (PROFA) E REFORMAS POLÍTICO-EDUCACIONAIS DESENCADEADAS NO BRASIL A PARTIR DA DÉCADA DE 1990

Fernanda Zanetti Becalli, Cleonara Maria Schwartz

Resumo


Este trabalho versa sobre política de formação de professores alfabetizadores, especificamente sobre um modelo de política pública de formação continuada posta em prática, pela SEF/MEC, no período de 2001-2002, por meio da implementação do PROFA. Neste texto, analisamos vinculações entre o PROFA e reformas político-educacionais desencadeadas no Brasil, a partir da década de 1990, por meio do incentivo de organismos internacionais. Para isso, tematizamos relações existentes entre princípios norteadores desses organismos e o modelo de formação continuada em questão. Metodologicamente o estudo se configura como uma análise documental, pautada na perspectiva dialógica, e teoricamente se embasa na perspectiva histórico-cultural. No cerne das reflexões, ao focar os pressupostos que fundamentam o PROFA, o estudo mostra que, por meio da adoção do construtivismo e do lema aprender a aprender, o programa se constituiu em um modelo de formação reducionista e estritamente pragmático.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1518-5370 [impresso] • 1982-0305 [eletrônico]
Teias, uma publicação eletrônica do Programa de Pós-Graduação em Educação – ProPEd/UERJ
Qualis/Capes - A2 (2017/2018) 
DOI: 10.12957/teias

 

Licença Creative Commons

Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional