Barreiras no caminho do tradutor: como lidar com elas?

Maria Aparecida Cardoso Santos, Renan Isse

Resumo


RESUMO: A tradução é um processo milenar. Desde a antiguidade, homens e mulheres traduzem textos, sejam eles orais ou escritos. A tradução, enquanto processo, consiste na transposição de um texto de uma dada língua de partida para uma determinada língua de chegada. Apesar de tantos anos de tradução, ainda há o que se falar sobre o texto traduzido e a tradução. A tradução precisou buscar seu lugar nos estudos acadêmicos para se desvencilhar de áreas afins que pudessem englobá-la, como a linguística. Dessa forma, criou-se a Teoria da tradução enquanto suporte teórico para analisar algumas situações e ajudar a atribuir à disciplina a devida autonomia que ela merece. Quando saímos do campo teórico e nos direcionamos à tradução enquanto prática, no entanto, a recepção é outra. Até que ponto o senso comum é capaz de interferir e pré-julgar a prática tradutória? O presente artigo busca discutir alguns tópicos importantes referentes ao processo de tradução, além de desenvolver uma reflexão sobre o nosso comportamento, enquanto (futuros) tradutores.

Palavras-chave: Senso comum. Tradutor. Tradução. Dificuldades.

 

ABSTRACT: La traduzione è un processo millenare. Dai primmi anni, uomini e donne traducono testi, siano loro orali o scritti. La traduzione come processo consiste nella trasformazione da un testo di una lingua di partenza all’un testo in una lingua di arrivo. Nonostante tanti anni di traduzione, c’è ancora cosa da parlare sul testo tradotto e sulla traduzione. La traduzione dovette cercare il suo posto negli studii academici per disimpegnarsi di aree simile che potreberro includerla, come la linguistica. In questo modo, la Teoria della traduzione è stata creata come sopporte teorico per analizzare alcune situazioni e aiutare ad attribuire alla disciplina l’autonomia che merita. Quando usciamo dal campo teorico e andiamo alla traduzione come pratica, però, la ricezione è diversa. Fino dove il senso comune può interferire e giudicare la pratica della traduzione? Quest’articolo cerca discutere alcuni topici importanti in riguardo allo processo della traduzione, oltre a fornire una riflessione sul nostro comportamento, come (futuri) traduttori.

Parole chiave: Senso commune. Traduttore. Traduzione. Difficoltà.

 

ABSTRACT: Translation is a millenary process. Since the beginning of humankind, men and women have been translating texts, whether they are oral or written documents. Translation, as a process, consists in the passage of a text in a given departure language to a specific target language. Despite so many years translating, there is still what to mention about translated texts and translation itself. Translation has had to look for its place in academic studies in order to separate itself from other areas that could comprise it, such as linguistics. This way, Theory of translation has been created as a theoretical aid, so as to analyse a few situations and help give the subject the autonomy it deserves. When we leave the theoretical realm and move to practical aspects of translation, however, the reception is not the same. To what end can the common sense interfere and pre-judge the act of translating? This essay tries to discuss some important topics in regards to translation, and also to develop a reflection on our behaviour as (soon-to-be) translators.

Keywords: Common sense. Translator. Translation. Diffilculties.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/italianouerj.2020.58069

Licença Creative Commons
A Revista Italiano UERJ está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Letras


Rua São Francisco Xavier, 524, 11° andar, CEP 20559-900, Maracanã, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
E-mail: revistaitalianouerj@gmail.com