Note sulla traduzione nello Zibaldone di Giacomo Leopardi

Fabrizio Rusconi

Resumo


ABSTRACT: Lo Zibaldone di Pensieri di Giacomo Leopardi contiene innumerevoli passaggi in cui l’autore si sofferma sul problema della traduzione. Leopardi non è solo un grande poeta lirico, ma anche un grande pensatore, un filosofo e un traduttore. In tal senso la sua riflessione sulla traduzione tiene conto tanto dei problemi concreti e pratici che si presentano al traduttore quanto di questioni generali che attengono la lingua, le civiltà, le culture, nonché, con grande acume e anticipo sui tempi, l’esperienza concreta e storicamente posta in cui i lettori fanno esperienza dei testi. Pagine illuminanti sono dedicate alla fruizione storica dei testi da parte dei lettori, aperture che sembrano anticipare posizioni consolidate dalla teoria della ricezione, come quella di orizzonte d’attesa. Prendere posizione sul Leopardi traduttore esige un confronto con questioni gigantesche: la differenza tra culture tanto su un piano storico (diacronico) quanto su un piano geografico (sincronico); il problema del bello e della relatività storica e culturale; la posizione del lettore, sempre storicamente posto dinanzi alla lingua; l’origine delle lingue e la loro differenziazione storica e contingente; il legame profondo e inscindibile tra parole e pensiero. Questo lavoro si prefigge un attraversamento di questo testo gigantesco che è lo Zibaldone, onde sceverare le più lucide e significative riflessioni sulle lingue e la traduzione.

Parole chiave: Leopardi. Zibaldone. Lingue. Culture. Traduzione.

 

RESUMO: O Zibaldone di Pensieri (1817-1832) de Giacomo Leopardi contém inúmeras passagens em que o autor se detém no problema da tradução. Leopardi não é apenas um grande poeta lírico, mas também um grande pensador, um filósofo e um tradutor. Nesse sentido, a sua reflexão sobre a tradução considera tanto os problemas concretos e práticos que se apresentam ao tradutor, quanto questões gerais que concernem à língua, às civilizações, às culturas, como também, com grande perspicácia e antecipando sua época, reflete em uma perspectiva histórica sobre a experiência dos leitores. Páginas esclarecedoras em que é discutida a fruição histórica dos textos pelos leitores, aberturas que parecem antecipar posições consolidadas pela teoria da recepção, como a de horizonte de expectativa. Posicionar-se sobre Leopardi tradutor e teórico da tradução exige um confronto com questões gigantescas: a diferença entre culturas, tanto no plano histórico (diacrônico) quanto no geográfico (sincrônico); o problema do belo e da sua relatividade histórica e cultural; a posição do leitor, sempre historicamente posta perante a língua; a origem das línguas e sua diferenciação histórica e contingente; o laço profundo e incindível entre palavras e pensamentos. O intuito desse trabalho visa, portanto, um confronto com essa obra única que é Zibaldone, ao encontro das reflexões mais lúcidas e significativas sobre línguas e tradução.

Palavras-chave: Leopardi. Zibaldone. Línguas. Culturas. Tradução.

 

ABSTRACT: Giacomo Leopardi's Zibaldone di Pensieri (1817-1832) contains numerous passages in which the author focuses on the problem of translation. Leopardi is not only a great lyric poet but also a great thinker, a philosopher and a translator. In this sense, his reflection on translation considers both the concrete and practical problems presented to the translator, as well as general questions concerning language, civilizations, cultures, as well as, with great insight and anticipating his time, reflects in a historical perspective on readers' experience. Enlightening pages discussing the historical enjoyment of texts by readers, arguments that seem to anticipate positions consolidated by the theory of reception, such as the horizon of expectation. Positioning for Leopardi as a translator and translation theorist requires a confrontation with gigantic questions: the difference between cultures, both in the historical (diachronic) and geographical (synchronic) planes; the problem of beauty and its historical and cultural relativity; the position of the reader, always historically set before the language; the origin of languages and their historical and contingent differentiation; the deep and unending connection between words and thoughts. The purpose of this work is therefore to confront this unique work that is Zibaldone, to meet the most lucid and significant reflections on languages and translation.

Keywords: Leopardi. Zibaldone. Languages. Cultures. Translation.


Palavras-chave


Leopardi. Zibaldone. Línguas. Culturas. Tradução.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
A Revista Italiano UERJ está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Letras


Rua São Francisco Xavier, 524, 11° andar, CEP 20559-900, Maracanã, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
E-mail: revistaitalianouerj@gmail.com