Língua Adicional como resistência às políticas de silenciamento do pluralismo linguístico

Camille Pessoa Pedrosa, Lídia Maria Ferreira de Oliveira, Michel Marques de Faria

Resumo


RESUMO: Recuperamos Leffa (1999) e partimos de uma reflexão sobre políticas de silenciamento (ORLANDI, 2007) e sobre gestos de resistência (PÊCHEUX, 1990) em busca de compreender como a presença da Língua Adicional nos currículos escolares é flutuante e seu comparecimento está condicionado às políticas educacionais de cada época. Outrossim, realizamos a articulação de componentes curriculares, conforme aponta Coracini (2007), para realizar uma oficina de educação linguística em língua italiana a partir do arcabouço teórico-metodológico da linguística aplicada (CAON & RUTKA, 2004) com base nas propostas curriculares de Schalatter & Garcez (2012) visando uma resposta à Lei 13.415/2017.

Palavras-chave: Língua adicional italiana. Ensino de língua. Ensino médio. Educação básica.

 

ABSTRACT: Abbiamo recuperato Leffa (1999) e siamo partiti da una riflessione sulle politiche di silenziamento (ORLANDI, 2007) e sui gesti di resistenza (PÊCHEUX, 1990) al fine di comprendere come la presenza della lingua aggiuntiva nei programmi di studio scolastici è fluttuante e la sua frequenza è condizionata a politiche educative di ogni epoca. Inoltre, articoliamo le componenti del curriculum, come sottolineato da Coracini (2007), per condurre un seminario sull'educazione linguistica in lingua italiana dal quadro teorico-metodologico della linguistica applicata (CAON & RUTKA, 2004) basato sulle proposte curricolari di Schalatter & Garcez (2012) in cerca di una risposta alla legge 13.415 / 2017.

Parole-chiave: Lingua aggiuntiva italiana. Insegnamento di lingua. Istruzione secondaria. Istruzione di base.

 

ABSTRACT: We retrieve Leffa (1999) and start from a reflection on silencing policies (ORLANDI, 2007) and on gestures of resistance (PÊCHEUX, 1990) in order to understand how the presence of the Additional Language in school curricula is fluctuating and their attendance is conditioned to educational policies of each era. In addition, we perform the articulation of curricular components, as pointed out by Coracini (2007), to carry out a workshop on language education in Italian language based on the theoretical-methodological framework of applied linguistics (CAON & RUTKA, 2004) based on Schalatter curricular proposals & Garcez (2012) for a response to Law 13.415/2017.

Keywords: Italian Additional Language. Language Teaching. High school. Basic education.


Palavras-chave


Língua adicional italiana. Ensino de língua. Ensino médio. Educação básica.

Texto completo:

PDF


Licença Creative Commons
A Revista Italiano UERJ está licenciada com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.


Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Instituto de Letras


Rua São Francisco Xavier, 524, 11° andar, CEP 20559-900, Maracanã, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
E-mail: revistaitalianouerj@gmail.com