Entrevista - Crise do Capital, disputa de destino e desafios para os trabalhadores

Reinaldo Gonçalves

Resumo


Desde 2007, temos acompanhado as notícias sobre a mais profunda crise docapitalismo, segundo analistas de todos os matizes, desde a grande depressão de1929. A crise tem seu estopim no mercado financeiro, por meio do esgotamentodo crédito, e no epicentro do sistema, a potência econômico-militar norteamericana.E se alastra obrigando muitos que dormiram neoliberais num dia aacordarem keynesianos no outro, reivindicando mais do que nunca o suporte dofundo público dos Estados nacionais. A crise abre uma onda de falências,concordatas, aquisições e fusões, num profundo processo de concentração decapitais, no mesmo passo em que o desemprego se alastra como uma epidemia.As manifestações de trabalhadores na Europa e nos Estados Unidos no dia 1o demaio de 2009, muitas delas radicalizadas e unificadas como há muito não se via,não deixam dúvidas sobre o impacto da crise sobre os trabalhadores, quebuscam recompor sua organização política após anos de fragmentação,complexificação e heterogeneização. A profundidade da crise foi subestimada noBrasil supostamente blindado pela gestão eficiente da política econômica,articulada à transferência de renda como eixo da política social. Será? Paracomentar esses processos e alimentar nossa compreensão de seus significados erepercussões presentes e futuras, convidamos o economista Reinaldo Gonçalves,professor titular de Economia Internacional da UFRJ, autor de mais de trêscentenas de trabalhos publicados em 21 países, e com nove livros publicados noBrasil, em geral sobre a economia política brasileira e sua relação com o cenáriointernacional. Reinaldo Gonçalves nos alerta para a longa duração desta crise epara a fragilidade das respostas brasileiras, enquanto se centrarem nofavorecimento aos bancos e ao agronegócio. Convidamos o leitor a conhecer ainterpretação polêmica e instigante de Reinaldo Gonçalves sobre estes temposdifíceis para o Brasil e o mundo. Entrevista realizada virtualmente por ElaineRossetti Behring, em 30 de junho de 2009.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/rep.2009.452

 

 

                                              

ISSN: 1414-8609 | e-ISSN: 2238-3786 JournalDOI: http://doi.org/10.12957/rep

Licença Creative Commons