Suicídio de universitários: o vazio existencial de jovens na contemporaneidade

Elza Dutra

Resumo


Estudos realizados na região nordeste com estudantes universitários dos cursos de medicina e de psicologia evidenciam um alto índice de ideação e de tentativas de suicídio entre eles. Ao mesmo tempo, não são incomuns as notícias de suicídio de estudantes em instituições de ensino superior, em universidades da região nordeste e sudeste, como por exemplo, Pernambuco e Rio de Janeiro. Partindo dessas evidências, este trabalho desenvolve reflexões acerca do contexto acadêmico, social e existencial em que tal fenômeno ocorre. Para isso recorre-se a algumas ideias da Analítica Existencial, tais como angústia, tédio e técnica. Espera-se que as discussões empreendidas possam acrescentar ao campo de estudo, bem como despertar as instituições acadêmicas para a importância desse fenômeno e, assim, favorecer a criação de estratégias de cuidado e solicitude que possam acolher o aluno em sua dimensão existencial.

Palavras-chave


suicídio de universitários; suicídio e analítica existencial; tédio e suicídio; fenomenologia heideggeriana

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2012.8229

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com