Estudos e Pesquisas em Psicologia
2022, Vol. 03. doi:10.12957/epp.2022.70414
ISSN 1808-4281 (online version)

 

EDITORIAL

 

Alice De Marchi Pereira de Souza**, I; Amana Mattos*, I; Edna Lúcia Tinoco Ponciano**, I; Filipe Degani-Carneiro**, I; Jimena de Garay Hernández**, I; Laura Cristina de Toledo Quadros**, I; Luiz Fernando Tura***, II; Marcos Vinicius Brunhari**, I; Patrícia Lorena Quitério**, I; Rosana Lazaro Rapizo**, I; Sabrina Dal Ongaro Savegnago**, I; Vitor Castro Gomes**, I
I Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
II Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil
Endereço para correspondência

 

 

Prezadas leitoras, prezados leitores,

O presente número de nossa revista Estudos e Pesquisas em Psicologia traz artigos e relatos de experiência de diferentes e relevantes temáticas da Psicologia, contribuindo para a difusão das produções acadêmicas e científicas na área. O número vai ao ar na semana que precede as eleições 2022, em um importante momento para a democracia brasileira, em que pautas centrais para o avanço da pesquisa e da ciência no país estão em debate.

A seção de Psicologia Social inicia com o artigo Conexões e Alianças do Movimento LGBT em Pernambuco na Década de 1980: memórias do GATHO, de Benedito Medrado, Carolina Cavalcante Lins Silva, Émerson Silva Santos, Anahi Bezerra de Carvalho, Jullyane Chagas Barboza Brasilino e José Eduardo Cavalcanti, que analisa produções jornalísticas da década de 1980 sobre a atuação do Grupo de Atuação Homossexual (GATHO). O artigo Mediação Familiar Judicial: Contribuições da Análise Institucional, de Juliana Toledo Araújo Rocha e Magda Diniz Bezerra Dimenstein, por sua vez, apresenta as contribuições da perspectiva da Análise Institucional em relação à mediação judicial no âmbito familiar, a partir de uma leitura crítica das propostas consensuais da área, apontando as "encomendas" e "demandas" feitas aos mediadores em suas práticas. Já no relato de experiência Entre Desafios e Afetações: Experiência em Tutoria da Psicologia na Residência Multiprofissional durante a Covid-19, as autoras Catheline Rubim Brandolt, Franciéli Cavalheiro Viero e Dorian Mônica Arpini compartilham a vivência de tutoria de um núcleo de psicologia na ênfase da Atenção Básica/Estratégia Saúde da Família em seu processo de reinvenção durante a pandemia de Covid-19. Em Representações Sociais da Mulher na Literatura Científica: uma Revisão Sistemática, Luiza Lins Araújo Costa, Fernanda Cristina de Oliveira Ramalho Diniz, Ana Raquel Rosas Torres e José Luis Álvaro Estramiana analisam publicações científicas sobre representações sociais da mulher no Brasil e América Latina, considerando os objetivos de estudos embasados na Teoria das Representações Sociais, a fim de identificar os principais temas e contextos nos quais têm sido realizados. O artigo O Espaço da Psicologia Organizacional e do Trabalho nos Cursos do Estado de São Paulo, de Luisa Aliboni de Toledo e Silva e Hugo Ferrari Cardoso, identifica o espaço disponibilizado ao ensino da Psicologia Organizacional e do Trabalho no processo formativo, a partir da caracterização das grades curriculares dos 162 cursos de Psicologia do estado de São Paulo. O trabalho As Queixas Escolares e Suas Interfaces em um Ambulatório de Saúde Mental Infantil, de autoria de Letícia Oliveira dos Santos, Valdelice Nascimento de França e, Aneliceda Silva Batista, rastreia e mapeia a queixa escolar no Centro de Orientação Médico Psicopedagógica do Distrito Federal, de forma a refletir sobre as características desta demanda nos serviços de saúde mental. O artigo A Colonização dos Corpos e dos Afetos pelo Capitalismo: Um Debate Necessário, de Sonia Regina Vargas Mansano e Paulo Roberto de Carvalho, busca compreender o processo de colonização pela via do consumo atentando para como este incide sobre os corpos e os afetos, análisando a complexa relação com o estrangeiro. No artigo teórico Incels e Misoginia On-line em Tempos de Cultura Digital, os autores André Villela de Souza Lima-Santos e Manoel Antônio dos Santos discutem como os discursos misóginos e antifeministas são produzidos e disseminados contemporaneamente no mundo digital, trazendo o conceito de masculinidade hegemônica para problematizar as formações discursivas que se materializam através de ideias importadas de sites estrangeiros em plataformas digitais brasileiras. Já em Inserção e Permanência de Prounistas Negras: Uma Experiência Institucional em Análise, Maria Mônica Gomes Divino e Roberta Carvalho Romagnoli investiga a inserção e a permanência de estudantes prounistas negras na universidade com base na Análise Institucional de René Lourau articulada aos estudos de branquitude crítica. Os dados foram produzidos por meio de entrevistas grupais on-line com quatro estudantes e analisados em conjunto por restituição. No artigo Entre a Dor e a Alegria: Repercussões Subjetivas no Ser Palhaço(a), os autores João Paulo Nogueira da Silva, Carolina Ventura Silva, Fernando Mateus Viegas Brandão e Janari da Silva Pedrosoinvestigam como a dor e a alegria podem influenciar a construção do ser palhaço(a), com o objetivo de compreender melhor a construção da sua subjetividade, por meio da realização de entrevistas com dez palhaços(as). Na sequência, no Relato de Experiência de Grupo terapêutico com Universitários Concluintes em Tempos de Pandemia da COVID-19, as autoras Gabriella de Carvalho Siqueira, Ana Paula Dias Pires e Janaina Cassiano Silva discutem a formação de grupo terapêutico que teve como participantes estudantes concluintes de variados cursos, contribuindo para o processo formativo da autonomia enquanto discente de graduação. Encerrando esta seção, o artigo A Competência Social de Professores segundo Mães e Pais por Ciclo do Ensino Fundamental, de Adriana Benevides Soares, Humberto Claudio Passeri Medeiros e Almir Diego Gonçalves Brito da Silva, analisa as concepções que mães e pais de estudantes do primeiro e do segundo ciclos do Ensino Fundamental têm sobre a Competência Social de professores de escolas públicas e privadas da região do Rio de Janeiro, Niterói e São Gonçalo.

Abre a seção Psicologia do Desenvolvimento o artigo Loucos por Ler: Oficinas Expressivas em um Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil, de Lourdes Aparecida D'Urso e Andréa Perosa Saigh Jurdi. Nele, os autores discutem os significados da leitura e escrita para adolescentes de um Centro de Atenção Psicossocial Infantojuvenil do município de São Paulo, por meio do acompanhamento de um trabalho com oficinas expressivas e seus desdobramentos. Já o artigo Efeitos do Trabalho de Regulação Infantil nas Competências Socioemocionais de Crianças no Ambiente Escolar, de Marina Heinen, Carolina Rolim Sartoretto, Maria Eduarda de Souza Ramalho Ortigão, Renato Caminha e Margareth da Silva Oliveira, avalia os efeitos do Trabalho de Regulação Infantil nas competências socioemocionais e problemas de comportamento, assim como nos escores da sintomatologia ansiosa e depressiva em crianças com idade entre 7 e 9 anos. Por fim, o artigo Programa de Formação para Desenvolvimento Socioemocional na Educação Infantil: Avaliação das Professoras, de Talita Pereira Dias e Zilda Aparecida Pereira Del Prette, traz estudo, realizado com 14 professoras, que descreve indicadores de aceitabilidade e avaliação dos professores sobre impacto de um programa de formação, com promoção de habilidades sociais, habilidades sociais educativas e habilidades sociais na infância.

A seção Psicologia Clínica e Psicanálise traz dois artigos. Em Contribuições Psicanalíticas sobre as Raízes do Racismo, as autorasGeisa Karla Oliveira de Assis e Heloisa Fernandes Caldas Ribeiro reúnem contribuições psicanalíticas a respeito do fenômeno do racismo, seu lugar na organização da sociedade ocidental e brasileira, e na constituição do sujeito, com o intuito de examinar as análises de pessoas negras para além da afirmação de que ser negro e lutar contra o racismo levaria à formação de grupo e inviabilizaria a emergência da singularidade do sujeito. Resgatam, para tanto, as contribuições feitas por Lélia Gonzalez no que se refere ao racismo e seus efeitos na constituição da subjetividade negra e na sociedade e cultura brasileiras a partir da psicanálise. Já o artigo em inglês "My life only happened on the Internet": Pedro's case in the perspective of Merleau-Ponty's phenomenology, de Francisco Raone Barbosa Saraiva, Camila Souza e Virginia Moreira, tem o objetivo de compreender, sob o olhar da fenomenologia filosófica de Merleau-Ponty, a experiência do tempo vivido de um jovem dependente do jogo pela Internet, por meio de um estudo de caso.

Desejamos a todas e todos uma boa leitura!

 

 

Endereço para correspondência
Comissão Editorial
Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Rua São Francisco Xavier, 524, Bloco F, 10° andar, sala 10.005, Maracanã, CEP 20550-013, Rio de Janeiro - RJ, Brasil
Endereço eletrônico: revispsi@gmail.com

 

 

Notas

* Professora Associada do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
** Professor/a Adjunto/a do Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.
*** Pesquisador associado do Laboratório História, Saúde e Sociedade do Instituto de Estudos de Saúde Coletiva da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

Este artigo de revista Estudos e Pesquisas em Psicologia é licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.



Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com