O Estado da Arte da Consciência do Bebê no Primeiro Ano de Vida

Karen Felícia de Figueiredo Maia, Fabíola de Sousa Braz Aquino

Resumo


O presente estudo busca ampliar o conhecimento sobre formulações contemporâneas acerca do desenvolvimento da consciência em bebês no primeiro ano de vida e suas relações com o desenvolvimento global subsequente. Realizou-se uma pesquisa documental do tipo Estudo do Estado da Arte com levantamento nacional e internacional. Os procedimentos e resultados foram organizados em eixos de análise. Os resultados demonstraram um conjunto de formulações sobre o tema os quais, de forma geral, convergiram para a compreensão do bebê humano enquanto consciente desde o nascimento, mesmo que em nível mínimo. Pesquisadores defendem que bebês exibem um ‘sentido implícito' de que são seres ativos e diferenciados de outros, expressando rudimentos de consciência. Argumentou-se que nos recém-nascidos a vida psíquica em nível rudimentar está associada ao funcionamento das estruturas subcorticais, que possibilitam a construção de processos cognitivos e afetivos cada vez mais coerentes. Ressaltaram-se diferentes níveis de consciêcia no primeiro ano de vida, especialmente por volta dos dois, seis, nove e doze meses. Esta pesquisa pode colaborar para avanços na compreensão do psiquismo de bebês nos meses iniciais do primeiro ano de vida.

Palavras-chave


desenvolvimento infantil; recém-nascido; consciência; criança

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2021.62710

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com