O cotidiano da intersetorialidade e as relações entre as equipes

Roberta Carvalho Romagnoli, Bruna Coutinho Silva

Resumo


Este artigo coloca em discussão as relações no cotidiano de trabalho da prática intersetorial do Núcleo Intersetorial Regional Técnico (NIR-T) de uma das regionais de Belo Horizonte, tendo como objetivo discutir conjuntamente os casos de violação social. Esse estudo tem a pesquisa-intervenção como metodologia e as ideias de Deleuze e Guattari como marco teórico. A partir das assembleias, das entrevistas semiestruturadas e das restituições realizadas com as equipes, analisamos as linhas que compõe a prática intersetorial no NIR-T que se fazem na troca entre os setores e os profissionais, nos efeitos dos abalos subjetivos na lida com a vulnerabilidade, nas dificuldades de encaminhamentos e seguimento dos casos, nos limites das próprias políticas públicas e na importância da sustentação do coletivo. Concluímos que a intersetorialidade, mesmo sendo necessária, ainda apresenta muitos desafios.

Palavras-chave


políticas públicas; intersetorialidade; pesquisa intervenção; esquizoanálise; intervenção social

Texto completo:

HTML PDF


DOI: https://doi.org/10.12957/epp.2019.43009

Licença Creative Commons
A revista Estudos e Pesquisas em Psicologia esta licenciada sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Não Comercial 3.0 Não Adaptada.

 

Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Instituto de Psicologia
© Estudos e Pesquisas em Psicologia
Rua São Francisco Xavier, 524, bloco F, sala 10.005, 10° andar, CEP 20550-013, Rio de Janeiro-RJ, Brasil
Telefone: (21) 2334-0651

E-mail: revispsi@gmail.com